alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

31.3.20

 

As formas do monstro


Sociobiologia / epidemiozoologia
                                                     

Padrão das curvas epidémicas

a) Se nada se fizesse (ampulheta parada)
b) Se se fizer alguma contenção (empurrando a ampulheta)
c) Se se fizer total contenção (ampulheta intermitente)



São como as bossas dos camelos:

b)
a)  - c)

Etiquetas:


29.3.20

 

da verdadeira causa


WHO Director-General
25 Março 2020

Six key actions that we recommend.
First, expand, train and deploy your health care and public health workforce;
Second, implement a system to find every suspected case at community level;
Third, ramp up the production, capacity and availability of testing;
Fourth, identify, adapt and equip facilities you will use to treat and isolate patients;
Fifth, develop a clear plan and process to quarantine contacts;
And sixth, refocus the whole of government on suppressing and controlling COVID-19.


O Padre Malagrida atribuía a castigo de Deus o terramoto de 1755, condenava severamente os que levantaram abrigos nos campos, os que trabalhavam em levantar das ruínas a cidade e recomendava procissões, penitências e muitos "testes".
* As confissões eram as provas (os "testes") de então. 


Etiquetas:


 

Apelo a jornalistas em tempo febril



Não precisamos de toda nem de muita informação; a indispensável, a necessária. Esse é o papel do jornalista, o seu “fardo”.
Teremos acesso a toda a informação mas não toda ao mesmo tempo que nos engasga ou nos causa indigestão.*
Precisamos de informação segura e transmitida de forma clara e exacta. Um apelo tanto ao jornalista como às fontes: mostrem os factos essenciais num português corrente e correcto. A pressa é má editora.
A informação bruta terá que ser tratada antes de ser publicada para que o jornalista não se limita a fazer copy-paste nem de “pé de microfone”.
Que a informação não seja como o coronavírus cuja célula receptora se limita a reproduzir cópias exactas (por vezes distorcidas pelas inevitáveis mutações), que serão transmitidas a outras, tal como aos leitores de milhares de cópias dos jornais ou outros meios, num processo que replica o da epidemia.
Uma palavra aos locutores: Silabem as palavras; todas as sílabas têm igual valor, não sussurrem as últimas - façam um estágio em Trás-os-Montes. E falem devagar, a pressa é ansiogénia. O tempo é curto, claro, mas o que gastariam a encurtar o texto bastaria para dizê-lo sem pressa; e evitariam redundâncias.
Não é fácil mas é indispensável, tal como a luta contra esta pandemia.
* Igual apelo a médicos e políticos.

Etiquetas: ,


 

O ano do vírus


O ano de 2019 moura e pereça,
Não o queira jamais o tempo dar;
Não torne mais ao Mundo, e, se tornar,
Eclipse nesse passo o Sol padeça.
 
A luz lhe falte, O Sol se escureça,
Mostre o Mundo sinais de se acabar
Nasçam-lhe monstros, sangue chova o ar,
A mãe ao próprio filho não conheça.
 
As pessoas pasmadas, de ignorantes,
As lágrimas no rosto, a cor perdida,
Cuidem que o mundo já se destruiu. 
Ó gente temerosa, não te espantes,
Que já houve muito pior.

Camões  2020

Etiquetas:


27.3.20

 

Mensagem



O funcionário Midas em confinamento social

O pandemedio paralisou o negócio.
No ócio em tuas mãos achado,
desabituadas, tocaste
e fez-se tédio.
(depois de ler o ensaio de António Guerreiro)

Etiquetas: , ,


 

Tediócio


A epidemia do tédio
De repente, uma parte enorme da população, em vários países, ficou confinada pelo tempo, muito embora só se fale do confinamento no espaço. É um curioso fenómeno digno de ser analisado.
Numa sociedade fundada sobre o trabalho, o lazer tornou-se não só uma mercadoria como todas as outras mas também uma forma quase sempre muito trabalhosa de “perder tempo” (as férias cansativas tornaram-se uma experiência comum). 
...
António Guerreiro


A ler o texto completo.


Etiquetas: , , ,


 

Trumpaganda


Prima por ampliar

Etiquetas: , ,


26.3.20

 

Isto é uma pandemia


Confinamento social


Etiquetas:


24.3.20

 

Há 500 anos em Tenochtitlan


En 1520 muchos aztecas sucumbieron a la viruela llegada con los europeos, … a que los nativos no habían estado expuestos y por consiguiente no podían resistir. 

Etiquetas: , ,


23.3.20

 

Poesia ultraviolenta



Cântico Negro

"Fiquem em casa" — dizem-me alguns com olhos doces,
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom se eu os ouvisse
Quando me dizem: "fiquem em casa"!
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos meus olhos, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca fico só por ali...
...
Não, não fico aí! Só, vou até onde
Me levam meus próprios passos...

Régio



Descuidada vai para a rua
Lianor pela frescura
Vai sem máscara, e não segura.

Camões


Ar livre
Ar livre, que não respiro!
Ou são pela asfixia?
Pavor da pandemia
Que não escancara a janela
Da sala onde a endorfina
Sem sol estiola e fica amarela!
 ...
Ar livre! Correntes de RUV
Por toda a casa empestada!

Torga

Etiquetas: , ,


22.3.20

 

Eterno retorno


                                                   Cem anos depois, “os terrenos, imóveis e bens móveis da Quinta dos Vales” da que foi a Assistência da Colónia Portuguesa do Brasil aos Órfãos da Guerra (1918) que veio a ser sanatório para tuberculosos - o Hospital-Sanatório da Colónia Portuguesa no Brasil (1930) - e, desde 1973, o Hospital Geral da Colónia Portuguesa do Brasil, volta agora a ser dedicado ao flagelo deste tempo - a Covid-19.

Etiquetas: , ,


21.3.20

 

O Expresso foi contaminado



Pandemedia

O vírus do pânico contaminou a capa do Expresso desde há um mês; já não parece o mesmo.
É contagioso e o perigo persiste uma semana; avisam-se os 87 mil leitores que lhe peguem com pinças e a o leiam com óculos.

" ... ter uma noção sobre os comportamentos humanos em situação de tensão, travar o pânico, entender as informações que recebe, saber distinguir o trigo do joio, conhecer minimamente os mecanismos sensacionalistas da comunicação social... Não é remédio absoluto, mas ajuda". JPP 

Etiquetas: , , ,


20.3.20

 

Bio-Electrochoque global

                                                 
Sociobiologia atrevida

Para tratar distúrbios mentais refractários



Etiquetas: , , ,


18.3.20

 

Contra o Covid-19



Portugueses de todo o mundo, separai-vos!


Etiquetas:


17.3.20

 

Estranho ADN



 “Depois de um primeiro teste ter dado “positivo fraco ou inconclusivo”) a  contraprova tornou a mostrar um resultado inconclusivo e o teste terá de ser repetido.
*O laboratório reconhece não conseguir interpretar a estranha ortografia genómica daquele cronavírus.

Etiquetas:


16.3.20

 

Gaivota


Coronavírus: confirmada primeira morte por covid-19 em Portugal.
Homem de 80 anos tinha outras patologias associadas

*O moliceiro ia com a água pela borda, carregado de anos e caruncho. Uma gaivota poisou e ele afundou-se; todos os esforços foram debalde.  

Etiquetas: , , ,


14.3.20

 

Vascos Moscosos


… (na manhã seguinte)
E os navios antes atracados ao cais, suspendidos nas mãos dos ventos de todos os quadrantes, arrancados de suas amarras, ficaram ao deus-dará da tempestade. E as chuvas a caírem, os pobres a chorar, os ricos a ranger os dentes.
Durou tudo apenas duas horas, e, se uma hora mais durasse, teria desaparecido do mapa a cidade de Belém com seus azulejos portugueses e sua graça antiga.
Desapareceria a cidade de Belém, engolida pelo dilúvio, levada pelo tufão, mas continuaria o Ita a seus cais amarrado, com todas aquelas amarras ordenadas pelo Comandante Vasco Moscoso de Aragão, Capitão de Longo Curso, único entre todos os velhos marinheiros capaz de prever a tempestade e de contra ela precaver o seu navio. Ali, firme no cais, imóvel e inamovível, com as suas amarras todas amarrado.
Jorge Amado. OS VELHOS MARINHEIROS. 1961


Etiquetas: , ,


 

Vascos Moscosos



- Comandante, estamos esperando. Nós e os passageiros. As máquinas já estão quase paradas, com quantas amarras vamos amarrar o navio?
Fitou-o Vasco com seus olhos puros:
- Com quantas amarras? - e o divinatório dom dos poetas iluminou-lhe a fronte, não havia erro possível. - Com quantas?
Fez uma pausa, pronunciou com sua voz de comandante, acostumado a comandar:
- Com todas!
Entreolharam-se, surpreendidos, os oficiais de bordo, por um momento estupefactos. Não era aquela a resposta que esperavam. Para falar a verdade, não esperavam resposta e, sim, a atrapalhação. a confusão, o desmascaramento.
 Mas, após o breve instante de perplexidade, o imediato sorriu - agora a pilhéria seria completa - levou o altifalante à boca e transmitiu à tripulação a ordem espantosa:
- Ordem do Comandante: amarrar o navio com todas as amarras.
Compreenderam os oficiais, contendo os sorrisos. O comissário desceu correndo as escadas: era preciso evitar a impaciência dos passageiros, explicar-lhes.
Começou o corre-corre da tripulação, iniciou-se o espectáculo que iria reunir tanta gente no cais, trazendo para diante do Ita os oficiais e marujos de todos os demais navios, inclusive dos gaiolas.
Diante do comandante, o imediato voltou a perguntar:
- Quantos ferros, Comandante?
- Todos!
A voz do imediato, no amplificador:
- Ordem do Comandante: todos os ferros!
- Quantas manilhas, Comandante?
- Todas!
- Ordem do Comandante: todas as manilhas! - transmitia o imediato.
Era a completa alucinação do navio, âncoras a descer, num ruído infernal. O comissário, na primeira classe, ia de passageiro em passageiro, explicando.
- Quantas espias, Comandante?
- Todas!
- Ordem do Comandante: todas as espias!
Os marinheiros arrastavam as espias, atiravam-nas a carregadores no cais que as prendiam aos grandes pés de ferro. Todos os lances sem faltar um só, os cabos de fibra balançando no ar.
- Quantos strings, Comandante?
- Todos!
- Ordem do Comandante: todos os strings!
Foram estendidos os cabos de aço, os traveses, enleando o navio definitivamente ao cais. Como se já não estivesse ele de tal modo preso ali com raízes tão profundas, como se as âncoras, as manilhas, os lançantes já não o garantissem de sobejo contra as piores tempestades e os tufões mais brutais.
Tempestades e tufões que nenhum serviço meteorológico previa, nem o olho mais experiente do mais temperado e velho marinheiro. A previsão era de tempo belo e calmo, de fresca viração.
Um riso homérico elevava-se do cais, vinha também da primeira classe do navio. O imediato prosseguiu:
- O ancorete também, Comandante?
- Também - ouvia o riso a crescer, compreendeu o logro em que caíra, mas estava possuído, não podia parar.
Chegava até a ponte aquele som de riso, um riso universal.
- Ligado por amarra ou cabo de aço?
- Pelos dois.
- Ordem do Comandante: arriar o ancorete e ligá-lo com amarra e cabo de aço!

Jorge Amado. OS VELHOS MARINHEIROS. 1961


Etiquetas: ,


12.3.20

 

A peste à porta



Europa fecha as portas à China.
Europa fecha as portas a Milão.
Itália fecha as portas.
Grécia/ Europa fecham as portas a refugiados.
A China fecha as portas ao mundo.
EUA fecham a porta à Europa.
Directores contra decisão de não fechar escolas.
"Vive-se com a sensação de que se anteciparam as férias ... e, portanto, assiste-se a uma debandada rumo às tascas, bares e discotecas da urbe".

Perante um epidemia de peste, “o príncipe Próspero e a sua corte refugiam-se no castelo onde todas as alusões à doença são esquecidas para darem lugar a um ininterrupto festim*, apenas assombrado pelas badaladas de um relógio.
Animais - Sede e Morte 
Mas um dos participantes do baile de máscaras de Próspero revela-se uma assustadora personificação da própria doença e todos os presentes morrem. Edgar Allan Poe, “The Masque of Red Death”.
Animais - Sede e Morte (Official video) 

Um das portas do castelo de Montemor-o-Velho é a Porta da Peste.

Etiquetas: , , ,


11.3.20

 

Quaresma



A Quaresma é um período de conversão, quando nos devemos arrepender de nossos pecados e mudarmos para nos tornar pessoas melhores.

Nada melhor que a Quaresma (40 dias) para um período de quarentena (14 dias), de jejum e abstinência depois da dissipação consumista dum longo Carnaval.

Etiquetas: , ,


 

Circum-navegação do Coronavírus


2. Todas as pessoas que chegarem a Pequim provenientes do estrangeiro terão de cumprir obrigatoriamente duas semanas de quarentena.
O objetivo é evitar a importação de novos casos de infeção pelo novo coronovarírus, responsável pela doença Covid-19.


3. Um dos dois casos`importados` detetados hoje na China é oriundo de Espanha.


* 500 anos depois do regresso de Sebastião del Cano, o vírus preferiu a rota da seda para chegar a Espanha.  



Etiquetas: , ,


 

Escolas preparadas


Ensino à distância de Empreendedorismo Tecnológico da UNL.

*Podemos ficar descansados que o ensino ficará à distância. 

Etiquetas:


9.3.20

 

Novo Auto da Lusitânia



Ninguém contesta as greves de funções públicas que usam os mais necessitados dos próprios cidadãos como ‘arma de arremesso’.

Etiquetas: , , ,


 

Ordena NOS


Os outros filmes anunciados pela NOS eram só de violência (até o sexo era violento) e magia.
O genérico policy trailer dos Cinemas NOS que precede os filmes é simbólico – imagens e sons de metralhadora e selva jurássica, intimações de campo de concentração (desligue o tm, proibido filmar… cumpra as normas …). Até o “Há mais em NOS”final  soa a ameaça. 
Há quem aprecie.
.


Etiquetas: ,


 

Mosquito



 Mosquito, um excelente filme da saga de um soldado voluntário português que, sozinho, percorre meio Moçambique a pé, em busca do seu batalhão perdido e que só encontra já depois da guerra (1917/18) ter cessado, para sua decepção.
O cineasta inspirou-se na história do avô. 

Etiquetas: , , ,


6.3.20

 

Vírus alarmado


O vírus de cabelos em pé com as notícias

Etiquetas:


 

Desigualdade de género


Mulheres mais afectadas por alterações climatéricas e mais dispostas a combatê-las.

Etiquetas:


 

Para domar a pandemia


Não abrir a boca; nem entra mosca nem sai asneira.

Assim se evita disseminar tanto o vírus como o seu meme.

Etiquetas:


 

Coroa ou globo?


Mina submarina
Coronavírus








Chamar corona a esta estrutura não será uma visão demasiado superficial?
Globovírus traduziria bem tanto a forma como a disseminação; minavírus seria inexacto sugerindo uma virulência que o vírus não tem.



Etiquetas:


3.3.20

 

Pasteur precisa-se


Covid-19: O “paciente zero” ainda não foi encontrado.

* Óbvio, esperavam geração espontânea?

Etiquetas: , ,


2.3.20

 

Efeitos secundários da pandemia



Covid-19
Ecológico, frenador do consumo e corrector demográfico.


Imagens da NASA mostram redução drástica da poluição na China com a crise do coronavírus.




Etiquetas:


1.3.20

 

Enorme expectativa



80% dos processos relativos a discriminação racial são arquivados


>96% Coronavírus: 73 casos suspeitos em Portugal deram negativo



Etiquetas:


Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017   05/2017   06/2017   07/2017   08/2017   09/2017   10/2017   11/2017   12/2017   01/2018   02/2018   03/2018   04/2018   05/2018   06/2018   07/2018   08/2018   09/2018   10/2018   11/2018   12/2018   01/2019   02/2019   03/2019   04/2019   05/2019   06/2019   07/2019   08/2019   09/2019   10/2019   11/2019   12/2019   01/2020   02/2020   03/2020   04/2020   05/2020  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter