alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

31.1.07

 
"Maioria de países da UE permite aborto a pedido"
Título incorrecto

"Entre os 20 dos 27 países da União Europeia onde é permitida a interrupção da gravidez a pedido da mulher"

É óbvio que não há país onde a interrupção da gravidez não seja “a pedido da mulher”
Dos 27 países analisados, só 12/13 aceitam “opção da mulher” como razão bastante para IVG
Oito(ou nove, Holanda) exigem razões de ordem médica ou social e um período de reflexão
A Inglaterra, Chipre, Espanha e Portugal exigem “grave risco para a saúde física e psíquica da mulher”
A Irlanda e a Polónia, só em caso de perigo de morte da mãe


 

Que fruto é este?

 
"Na minha mama mando eu"

Razões do êxito dos leites em pó
HCM. Medicina (revista de Coimbra) Março 1976
1) ...
2) O biberon símbolo da emancipação feminina... que assim fica mais livre... para o mercado do trabalho, forçada pelas necessidades financeiras familiares agravadas pela aquisição do leite em pó.Quem ganha com tal oferta de mão-de-obra e com tal ampliação do mercado?
3) A pouca consideração pelo papel da mãe nas economias do mercado. A mitificação do desenvolvimento económico é característica das civilizações pequeno-burguesas de todas as latitudes. Embora a maternidade seja radicalmente uma actividade produtiva, dá infelizmente pouco lucro, pelo que tende a ser eliminada pela concorrência. Entre a amamentação e o risco e de desemprego opta-se pela solução mais fácil- o biberon.
Iludindo a solução radical - o reconhecimento do valor social da maternidade - optou-se pela solução tecnológica dos "leites gratuitos", politicamente neutra e facilmente recuperada pelo sistema. E mais uma "revolução verde", neste caso branca, duplamente branca.

Recordo o que escrevi sobre os biberons (mantive a grafia original e a redacção daquela época eufórica); onde está biberon leiam aborto "por opção" e reflictam. O pêndulo não cessa de sussurrar: Não façam asneira outra vez!

Os leites para lactentes foram uma moda que as portuguesas adoptaram das nações de referência quando o mercado teve necessidade do trabalho feminino. Enredaram-se na teia que a aranha lhes teceu e, agora que as mães escandinavas voltaram a amamentar, vai levar muitos anos para que as portuguesas façam o mesmo. Perdemos uma geração.
O "atraso" nacional não é um mal irremediável; grave é não aproveitar a situação para aprender com o exemplo dos outros para não repetir os seus erros. Toda a opção tem dois bicos.
50 anos depois da pílula, uma em cada seis gravidezes é voluntariamente interrompida por alegado risco para a saúde da mãe (Espanha 2004).

 
Coerência

Nesta fábrica, cada operária produz, em turnos de 10 horas e duas folgas por mês, 500 peças de roupa por mês. São calças e blusões de ganga, vendidos a 30 € na Alemanha.
Ao fim de um mês de trabalho, o salário de cada trabalhador é o equivalente a três pares de calças de ganga.

Os proponentes do SIM só usarão roupa de marca nacional e recusarão fazer campanha nas "Feiras do Relógio" para não alimentar estas "'slot machines' de ganhar dinheiro", este "negócio de dinheiro sujo" que fomenta a "humilhação das operárias chinesas".

 
Argumento resignado
“se a montanha não vem a Maomé, vai Maomé à montanha”

“não existe o mínimo
consenso social sobre a repressão penal do aborto, que a generalidade das pessoas não denuncia nem deseja ver julgado."

Também “a generalidade das pessoas não denuncia nem deseja ver julgado” quem vende cópias piratas ou contrafacção de roupa de marca (salvo as marcas e o comércio legal).
Se há que adaptar o Código Penal à moral vigente, espera-se um novo referendo:
Concorda com a despenalização da venda de cópias piratas, nas primeiras dez semanas de cada mês, se efectuada em feiras legalmente autorizadas?


Para quem ache que a caricatura é excessiva, recordo que a pena para a venda de uma cópia pirata de um DVD pode ir até 3 anos, tal como a do aborto. (Art. 196º Contrafacção. Código dos DIREITOS DE AUTOR)

 
O referendo sobre a despenalização da resignação

Em Portugal, que tem estruturas judiciárias frágeis, que não tem resultados nem qualquer estratégia de combate no domínio preventivo, …, o mero debate sobre a corrupção é um caso político muito complicado. Fica a espuma das "asneiras", do confronto à volta dos meios, a conversa dos "modelos", o jogo do avança-recua. Há vinte anos que é assim, há vinte anos que não se sai disto!

O Código Penal não serve para combater o aborto, pois os dados disponíveis revelam cifras preocupantes (dezenas de milhares por ano). Hoje é muito mais evidente que a actual situação de repressão penal do aborto não só não serve para defender os fins da lei penal em geral, como tem efeitos colaterais muito perversos no plano da dignidade, da liberdade, da saúde e mesmo da vida das mulheres.

Agora substitua-se aborto por corrupção

Como a lei não é cumprida e a lista de useiros comprida, revogue-se a lei para evitar o vexame da Justiça desprezada.
Concorda com a despenalização da corrupção, por opção do corruptor, nas primeiras dez semanas da denúncia…

ou, melhor: Resigna-se ...?

30.1.07

 

Opções

Escolhe-se uma via e "faz-se a agulha".
Uma vez tomada não há volta a dar: arrepender é descarrilar.

 
A SIDA como modo de vida

A Sida trouxe uma vida sem preocupações aos infectados ugandeses. Tudo é gratuito. Só o rastreio é voluntário. O resto é uma dádiva compulsória. Um resultado positivo é uma oportunidade de vida.
Trágico resultado de um generoso voluntarismo.


 
Bioterapia – voltar a manter os bichos vivos ao nosso serviço
Como os probióticos de Mechnikov


Enquanto um canal de TV mostrava o ambiente sofisticado de uma câmara hiperbárica para tratar “uma série de doenças” como o pé diabético em Matosinhos, a 2 mostrava um hospital americano onde uma úlcera do pé diabético cronicamente infectado era tratada com larvas de moscas varejeiras. Num hospital inglês, sanguessugas são usadas para atenuar a congestão … de um enxerto de um dedo do pé.

 
Alterações climatéricas

Especialistas mundiais reúnem-se em Paris com cenário pessimista (SIC)

* Deve ser a menopausa (climatério) da Terra.

 
Rally de Portugal de Regresso ao mundial…

As Grandes Máquinas e os Melhores Pilotos do Mundo estão de Regresso!
De novo na estrada; toda a gente quer ver os bólidos velozes – uma curva, um risco num décimo de segundo. Todo o cuidado é pouco – em risco a tua vida e a do condutor, senão a de outros …. Mas a tentação é grande… só um poucochinho mais. Há ordens? Ignoram-se. Barreiras? Saltam-se. Só meio metro, só atravessar a estrada. Pumba, aconteceu….
O INEM chegou logo e o rapazito salvou-se mas não dois circunstantes, atropelados pelo carro despistado.
Coitado do rapazito; não basta o que sofreu e ainda tem de responder em tribunal pelo que causou!
Concorda com a despenalização do acidente, por opção do co-responsável ….

 
As escolhas de Marcelo RS

Não perco uma; quase todas as opiniões me parecem bem fundamentadas, excepto quando fala do que eu conheço.
A lei portuguesa sobre o aborto é idêntica à espanhola; para Marcelo a lei portuguesa não tem satisfeito o mercado, ao contrário da espanhola, porque os médicos portugueses invocam objecção de consciência e o SNS não dá resposta.
Pelo menos um destes argumentos não é pertinente: 97,5 % dos abortos realizados em Espanha são-no numa rede de clínicas privadas a isso dedicadas.

Os argumentos são como as maçãs; basta uma podre para contaminar as restantes.

29.1.07

 
Felizmente há luar

A Clínica Los Arcos vai deslocalizar-se de Badajoz para Lisboa.
Ficará no Campo dos Mártires da Pátria, justamente onde eles também foram sacrificados para que os portugueses fossem livres. Dois séculos depois há quem espere que as portuguesas se irão pela lei do aborto libertando.
Aqueles mártires revoltaram-se contra a tirania de Beresford e os seus ingleses que nos tinham vindo ajudar a libertar da de Bonaparte; mártires chefiados por Freire de Andrade, general de Napoleão, na campanha da Rússia.
Há que estar sempre preparado para nos libertarmos dos libertadores.

 
Vota Não responsável

PS prevê taxas moderadoras sobre o aborto

Reviravolta. Afinal o PS não defende o SIM à despenalização; apenas pretende substituir a pena de prisão pela de pagamento de uma multa … … para evitar a utilização indevida.





 
Associação Portuguesa de Mulheres Juristas

Pois que sendo a maternidade expressão da liberdade das mulheres, um expoente da sua personalidade, tem de ser fruto da sua consciência e responsabilidade.
... a imposição da gravidez mediante cominação penal… está ferida de inconstitucionalidade.
… o actual tratamento penal da interrupção voluntária da gravidez bloqueia todo o tratamento extra-penal, seja ele médico-assistencial, sanitário ou educacional, que é tão necessário como fundamental.

* Liberdade, consciência e responsabilidade não exclui imprevidência acidental; admitirá despenalização sistemática?
* A lei actual já autoriza aborto por violação e, obviamente, por inseminação artificial.
* A lei portuguesa é idêntica à espanhola, onde o “tratamento médico-assistencial” parece estar assegurado.

 
Sim, não e talvez

Estamos a referendar isto: uma mulher numa situação de descontrolo da sua vida e do seu corpo, deve ou não ser mandada para a prisão?
Deve ou não ser ajudada a tomar a melhor decisão, num meio clínico competente, que a apoie e aconselhe dentro dos prazos legais?


Para não “mandar para a prisão” será indispensável “despenalizar”?
Uma “mulher numa situação de descontrolo da sua vida e do seu corpo” não será uma redacção armadilhada para equipará-la a “gravidez de risco”?
Não haverá quem “a apoie e aconselhe” “a tomar a melhor decisão” sem ser “num meio clínico competente” dentro dos prazos legais? Não é um acto falhado?

 
argumentos ressabiados

Na defesa do SIM por algumas colunistas, ouço mais a mulher que a grávida em crise; diviso mais o ressábio genérico que a generosidade para com quem tem de tomar uma decisão difícil.
Mais a sombra do remorso do que fizeram ou temem poder vir a fazer (remorso condicional) e que ainda não resolveram ou sublimaram.
Mais um egoísmo projectado que a compreensão do drama da grávida que não quer ou não pode ou não vê como possa ser mãe.

Com isto perdem a lucidez dos argumentos.

 
A quem o referendo diz mais

80% das classes sociais "alto e médio-alto" irão "votar de certeza"; das "média e média-baixa" irão 57%. Barómetro Marktest.

* Suportá-lo-ão "sem interesse" 20% dos ricos e 43% dos pobres.

 
O referendo sobre a despenalização

Um tipo faz uma tatuagem -- nome da namorada; pouco tempo depois a relação acaba.
O que fazer????

2º Perceber que é preciso ser tótó para deixar isto acontecer
.

6º Não fazer a mesma m**** de novo

3º. Procurar remover a tatuagem se a tinta for perigosa para a saúde (física ou psíquica)
4º. Exigir que um estabelecimento de saúde legalmente autorizado remova a tatuagem num prazo de dez semanas

 
Tolerância ou surdez

Portugal é dos países mais tolerantes da Europa em relação às minorias. Só a Dinamarca nos ultrapassa. Os toxicodependentes, cadastrados e fundamentalistas islâmicos são os mais discriminados.
JM Leite Viegas. Citizenship and Involvement in European Democracies. Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, Lisboa.

Parece ter mais a ver com o risco temido. Não se dá conta do risco do ruído – foguetes, automóveus, rádios, feitores de opinião e outras minorias estridentes.

 
Activistas sem causas

Na Alemanha, já se alugam manifestantes para causas sem activistas.

Não é mais prático contratar acessores de imprensa?

 
A caverna da Justiça

A Justiça portuguesa está presa.
Vê a realidade através duma grelha -- uma folha de cálculo EXCEL -- e só nos imagina atrás de grades.

O seu orago deveria ser S. Lourenço mártir que foi grelhado vivo por se recusar a obedecer a uma lei injusta.

28.1.07

 
Estatística elementar

Concorda com a pena de seis anos de prisão imposta ao pai adoptivo da criança de Torres Novas? (DN)
Total de votos 8377
Sim (468 votos - 5 %)
Não (7909 votos - 94 %)

5% é o valor limiar da normalidade estatística.

 
Progéria

Em 1998 votei "não" no referendo do aborto, agora vou votar "sim". .. porque acredito nestes compromissos.

Preocupam-me as razões destes jovens: como não houve revolução e tudo “continua na mesma”, vãovotar SIM como o mal menor neste mundo que, não tendo conseguido melhorá-lo, consideram o melhor possível. Em vez de tentar encontrar uma solução radical e viável – A SOLUÇÃO— votam SIM como a menos má possível; em vez de solução dum problema, aceitam a dissolução dos lemas generosos duma juventude recente. Resignam-se cedo demais; não é maturidade, é psicastenia. Jean Barois era muito ma
is novo.
Aliás, esta é a atitude da esquerda, bem analisada por Lucas Pires no DN e
J. Miranda. Resignada. Defendem a Constituição com a mesma energia com que se lhe opuseram; defendem as empresas actuais e a estrutura da FP– sacrificando as gerações futuras às actuais. Defendem e acarinham a publicidade que gera consumo supérfluo e o endividamento… porque melhora o PIB; afagam o consumo porque estimula a nossa economia…

 

Salazar à frente de Cunhal
no concurso “Grandes Portugueses”, li no SOL

Como teria acontecido se, há 50 anos, pudesse ter havido um referendo destes (ou qualquer outro).
Será que as alternativas serão, hoje, as mesmas, havendo “apenas” a liberdade de as exprimir?


Também há 50 anos não havia pílula; os argumentos do referendo deste ano também parecem ignorar todos os recursos e informação disponíveis neste último meio século.

27.1.07

 
O direito e o avesso

O direito à greve de alguns ;
de todos, por opção dos seus órgãos corporativos.








O avesso do direito; dos que mais precisam ou dos que mais reclamam?
Sou avesso a direitos absolutos.

 
Manipulados e populistas

O procurador do Ministério Público do Tribunal de Torres Novas vai defender que a Esmeralda se mantenha à guarda do casal.
Helena Matos suspeita que a reviravolta do MP foi resultado da manipulação e cedência ao populismo?


 

Patrões da moda atentos ao problema da anorexia

Anorexia= falta de apetite; se há coisa que essas raparigas não têm é falta de apetite.

 
O referendo sobre a despenalização

O kalazar é uma doença parasitária dos cães. Por vezes atinge as crianças pequenas; quando não havia tratamento a criança morria com um baço enorme infestado por parasitas.
Em desespero de causa, um cirurgião pediatra português (Salazar de Souza) decidiu tirar o baço a alguns destes infelizes – uma boa parte sobreviveu; um êxito. Parcial mas um êxito com os recursos de então. Hoje dispomos de um medicamento eficaz; bastam dez injecções e todos curam.
Também naquele tempo não havia pílulas anticoncepcionais e muito menos, “do dia seguinte” ou “abortivas”; os preservativos eram usados contra as infecções genitais. A educação sexual era empírica e as abortadeiras continuavam a “fazer anjos”, como sempre. Por vezes faziam anjos e mártires nem sempre santas.

Os meus colegas “pela escolha” despenalizariam, hoje, a esplenectomia para tratar o kalazar, “por opção do cirurgião” ou dos pais da criança? Sempre?

26.1.07

 
Imprescrutáveis critérios

O Ministério Público pediu uma pena de quatro anos de prisão para o militar que pretende adoptar uma criança de cinco anos cuja mãe lhe confiou aos 3 meses.

O Ministério Público pediu uma pena de quatro anos de prisão para a mãe por omissão dos crimes de ofensas à integridade física qualificada e abuso sexual agravado à sua filha recém-nascida.


Adenda
Maravilha. Finalmente o procurador encontrou.
O
procurador do Ministério Público do Tribunal de Torres Novas vai defender que a Esmeralda se mantenha à guarda do casal com quem vive.
A melhor prenda de anos.

 
O referendo de há dez anos
“Concorda ou não com continuação da construção da barragem do Côa”

1. A primeira pedra do futuro Museu do Côa foi lançada hoje com dez anos de atraso. Dez anos é muito tempo mas, se a resposta ao referendo de então tivesse sido SIM, não haveria agora Museu nem possibilidade de visitar as gravuras submersas.
É significativo que se tivessem colocado as gravuras em alternativa à barragem – a história e a arte versus a energia e a reserva estratégica de água; na véspera do Sec. XXI não seria possível conservar ambas?

A questão mantém-se e a solução integrada ainda é possível porque venceu o NÃO; se tivesse vencido o utilitarismo da barragem o problema teria morrido afogado. Afogado mas não solucionado que as gravuras não são solúveis em água.
2. Uma mulher não é feita de xisto; uma gravidez indesejada não pode esperar tanto tempo. Mas este é um incentivo para reformular a questão de forma a permitir um indispensável consenso social mínimo; até lá, a lei actual é idêntica à que serve em Espanha. Não impede a educação sexual nem o apoio sensato a quem deseja mas sente não ser capaz de prosseguir a gestação.

 
“Esquadra do Séc. XXI” da PSP

Soluções da PT Inovação
Em Coimbra a recepção é feita por um polícia à secretária com 10 resmas de impressos diferentes, com aspecto de amanuense à segunda de manhã. Mera burocracia.
Mais de 12 graduados dedinhavam teclados de computadores; a mensageira também estava fardada de polícia. Todos jovens ou de meia-idade.

 
Serviços de Urgência Básica

que têm, no mínimo, dois médicos e dois enfermeiros em permanência, meios de diagnóstico e equipamentos de socorro básicos, nomeadamente ventiladores e electrocardiógrafos.
ou
que tenham, no mínimo, um médico disponível e meios de diagnóstico e equipamentos de socorro básicos, nomeadamente telefone, net, voz e
motivação?

 

Gasolineiras podem passar a vender remédios

Se já vendem tabaco, álcool e jornais é razoável que também vendam antídotos; o cliente tem sempre razão, sem chumbo.
Aspirina Diesel
Paracetamol 95
Rennie verde
Pílulas anti-etanol

 
Hipócrates actualizado

Código deontológico dos médicos deve ser actualizado … para acompanhar a evolução moral e social da sociedade, entende o médico prof. Pinto da Costa

 
Deontologia politicamente correcta

Código deontológico dos médicos deve ser actualizado
A
Associação Portuguesa de Bioética defende … que a ética dos médicos deve adaptar-se à ética social. Para o presidente da associação, …a ética médica deve, «no mínimo, estar de acordo com a lei nacional em vigor".

Nem necessidade haveria de deontologia; bastavam as leis em vigor para, na sua meridiana clareza, nos orientarem. Os causídicos agradecem.
A Associação Portuguesa de Bioética vai dissolver-se no conselho superior da magistratura.

A hipnótica atracção da homogeneidade; esquecem-se que a dialéctica é uma lei biológica fundamental.

25.1.07

 
2/3

O Ministério Público pediu a redução de seis para quatro anos da pena de prisão aplicada a Luís Gomes.

Não se darão conta do ridículo? De seis para quatro! — de 2013 para 2011…

 
A penalização da transparência

Deixou passar a imagem de que o PS não quer combater a corrupção

Não devia ter deixado passar a imagem?

 
Alimentos perecíveis

Um terço da ajuda alimentar não chega aos destinatários.
FAO recomenda aos países dadores que mandem dinheiro em vez de produtos.

Os intermediários agradecem.

 
O referendo sobre a despenalização
“Na minha empresa mando eu”


"Concorda ou não com a despenalização do despedimento por opção das proprietárias das empresas, nas primeiras dez semanas de contrato?"
Para garantir a livre produção autónoma feminina.


"Concorda ou não com a despenalização do extermínio dos desempregados, por opção das proprietárias das empresas, após 24M de subsídio legalmente autorizado?"
Para evitar a humilhação dos sem-abrigo.

24.1.07

 
Co-incineração; o lado do vento

19 Janeiro: Comunicado da Comissão de Acompanhamento Ambiental . Não parecem existir diferenças entre os resultados dos testes de co-incineração de resíduos industriais banais e de resíduos perigosos (RIP). Em virtude de só no dia 17 de Janeiro, terem sido conhecidos os resultados dos ensaios de RIP, a Comissão vai aguardar pelo relatório da análise de resultados que solicitou à consultora SGS.

24 Janeiro: O
Tribunal de Almada decidiu suspender a queima de resíduos perigosos (co-incineração) na cimenteira da Secil no Outão (Arrábida) até a realização de nova avaliação de impacte ambiental.




 
Privar o meixão de ser enguia: um crime que compensa

O meixão ou enguia-bebé possui elevado valor económi­co, principalmente para os espanhóis.
Apesar de ser uma actividade “predadora" dá ape­nas direito a contra-ordenação, não sendo considerado crime. Só se os "pescado­res" forem apanhados em fla­grante é que «incorrem em responsa­bilidade penal», mas essa é uma situação difícil de acontecer. Os "pescadores" não desistem porque, mesmo quando ficam sem redes, o negócio acaba por compensar.
O Destacamento Fiscal e Marítimo da Figueira da Foz tenta desmantelar as redes do meixão. Um trabalho que acaba por ser «inglório» «porque não conseguimos ces­sar a actividade» mas «é isso que nos dá alento e força para conti­nuar a fiscalizar pois sabemos que, pelo menos durante uns dias, o rio fica mais "limpo"».
Diário de Coimbra 24-1-2007

 
Piloto automático humano

O piloto viu outro avião a aproximar-se mas, como as coordenadas estavam correctas, não se desviou … Humano?

 
Um portal significativamente emperrado

Lento, muito lento e com pouca consideração pelo cidadão ; para tentar aceder a “toda a matéria de facto dada como provada e que serviu de fundamento à decisão a 13 de Julho de 2004” que o CSM “deliberou, a bem da clareza e do rigor, publicar no site oficial” demorei 17 minutos (10h 27).
Para procurar aos textos anunciados nenhuma indicação é dada. Tentei os "Serviços ao Cidadão" e, depois de longos minutos de espera, surgiu-me este inesperado filtro de bloqueio ao cidadão:

Serviços ao Cidadão. Login
................................Recuperar Password
................................Registe-se
Desisti.

 
Perspectiva enviesada

É desejável que, à crítica a formular, corresponda uma prévia recolha de informação e descrição de factos, tão rigorosa quanto possível, capaz de lhe conferir um elevado grau de credibilidade.


1. "Por volta de Agosto de 2002." Afinal teria sido em … Janeiro de 2003.
2. "o arguido [presume-se que quereria escrever "requerido"] solicitou a realização dos referidos testes … Afinal os "testes" foram pedidos pelo Ministério Público.
3. "assim que teve conhecimento dos resultados do exame de paternidade, o pai perfilhou a menor" ("esclarecimentos públicos" da Associação Sindical dos Juízes). Afinal esta perfilhação ocorreu seis meses … ou oito meses … após a "comprovação científica da paternidade". DN

 
O referendo na Sicília de 1860

Manifestação inflamada dos partidários do SIM. Dom Calogero era a favor; o Príncipe Salinas também apoiava: “É preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma”.
Na outdoor não aparece D. Calogero, quem mais lucrou com a liberalização.

23.1.07

 
Referendo sobre a despenalização
«Não» organiza «caminhada pela vida»

«Queremos dizer ao mundo que acreditamos na vida desde a concepção até ao últimos suspiro».
* A vida não começou na concepção mas há milhões de anos; não fazemos mais do que tentar mantê-la e propagá-la se tivermos ou adoptarmos filhos.
Nunca somos verdadeiramente donos de um Patek. Apenas cuidamos dele para a geração seguinte”.

 
Sugestões ao tribunal de Torres Novas


1. O pai biológico tem direito a ser ressarcido da célula hapóide que perdeu em favor da mãe que dela ficou depositária; atendendo aos juros de mora, a filha fica condenada a devolver-lhe uma diplóide.
2. O pai biológico tem direitos que há que respeitar; a filha também. Para respeitar os de ambos, a criança ficará na família que a acolheu quando mais ninguém se mostrou disponível até à maioridade; nessa altura poderá optar.
3. O pai biológico, a quem as autoridades judiciais deram o poder paternal, passará a ser designado por pai jurídico na forma tentada.

 
As opiniões de boas pessoas*

“A criança não deve ser retirada aos pais adoptantes de forma abrupta…”
“A cabeça de Maria Antonieta não ser separada de forma abrupta”
“O feto não deve se retirado da mãe de forma abrupta”

Algumas perguntas a um bom homem
.................................................................................. * não fazem mal a uma mosca.

 
Cúmulo jurídico

O tribunal de Torres Novas
a) condenou a seis anos de prisão, por sequestro de uma menor de cinco anos, aquele a quem a mãe a entregou aos três meses., com vista à aopção.
b) criticou o seu comportamento por ter recusado entregar a menor, que está em parte incerta com a “mãe adoptiva”.
c) ordenou à Polícia Judiciária e à PSP o
resgate da criança.

Dois mil anos depois, a história repete-se; não é farsa mas é lastimável.

22.1.07

 
Logotipos simbólicos

Axioma 1 - Todo o cidadão é infractor enquanto se não provar o contrário.
a) o contrário é a excepção que confirma a regra
Axioma 2 - Todo o acusado é culpado enquanto ele não provar o contrário.

a) mesmo que o consiga, aplica-se o Axioma.

........................................................................Os dois pratos da balança – um laço e uma armadilha

 
Impulso do macaco
Estamos a correr software de sec XXI num hardware que foi melhorado há 50 mil anos ou mais. R. Wright. Breve história do progresso. Dom Quixote.2006.

A decisão será tomada por impulso - não por deliberação racional - porque é assim que são determinados os factos essenciais da existência humana. A própria vida de qualquer ser humano - de todos aqueles que existem hoje mais todos aqueles que existiram no passado - é o resultado de um impulso e de um dos mais poderosos impulsos da humanidade - o impulso sexual - o qual oblitera, por completo, qualquer resquício de racionalidade.
Ainda que isso nos custe admitir, cada um de nós é, de forma esmagadoramente predominante, o produto de uma gravidez não-desejada. Literalmente, cada um de nós está cá por acaso.
E, estando nós cá por acaso, não deixa de ser surpreendente como nos sentimos capazes de decidir, por argumento pretensamente racional, acerca de outros virem ou não juntar-se a nós.

* Adivinhe qual terá sido o resultado no Referendo do ano 48000 AC:
Concorda com a despenalização das consequências dos actos impulsivos?

 
O referendo sobre a despenalização

Para rever a Constituição exige-se uma maioria de 2/3; parece sensato que a revisão da lei fundamental exija uma maioria qualificada de deputados do povo.
Não é estranho que para rever a penalização do que desde há séculos (25 para os médicos) é tida como crime baste uma maioria simples?

Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017   05/2017  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter