alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

31.3.07

 
Direita ou Esquerda vol..ver!

O autoritarismo, o equilíbrio financeiro e a administração austera, que, à mistura com um programa "modernizador", alimentam o mito oficial de Sócrates vieram da direita, não vieram da esquerda. VPV, Público 31.03.2007

Autoritarismo, equilíbrio financeiro, austero, um programa "modernizador". Estaline fez diferente?
Esquerda, direita ou aquele lugar onde, se não tiverem juízo, ambas se poderão encontrar sob uma qualquer ordem unida berrada na parada do quartel, para a direita ou para a esquerda, indiferente.

 
Peso recomendado
Público 31.03.2007

Uma mulher magra DEVE engordar entre 12,5 e 18 quilos.
Uma com peso adequado DEVE ganhar entre 11,5 e 16 quilos.
Já uma com excesso de peso DEVE ficar-se entre 7 e 11,5 quilos.
E a obesa, (DEVE ficar-se pelos) sete quilos.
Uma grávida de gémeos DEVE engordar 15,9 a 20,4 quilos.
E uma de trigémeos (DEVE engordar) 22,7 quilos.

Seis deveres num só parágrafo é demais; o contágio do carácter imperativo das leis juríricas às científicas provoca ansiedade escusada.

 
Sem a mínima contrapartida

Em três anos os gabinetes governamentais gastaram, muitas vezes "sem a mínima contrapartida", verbas quase quatro vezes superiores ao custo previsto para o novo aeroporto da Ota.

* A comparação com o custo da Ota não foi por acaso;
terá a ver com os previstos custos ou as temidas contrapartidas?

 
“… tom sabujo e diabético”
RTP em Fátima

Diabético? (do gr: atravessar). Os diabéticos urinam muito e têm muita sede; emagrecem apesar de comerem bem.
A energia e a água atravessa-os sem os tocar.
Como a Graça aos incréus; como o choradinho aos serenos.

 

Painéis colectores de energia solar - fotoquímica

Ar livre – Pele (Vitamina D)
.
Basta um quarto de hora ao ar livre, três vezes por semana para evitar a carência. Não é necessária expor directamente ao Sol mas a vidraça neutraliza os RUV.
A ignorância destes dados elementares levou ao raquitismo -- na Europa do Norte por falta de Sol, na do Sul e até nos países do Médio Oriente, por excesso de sombra.
A ignorância levou tantas gerações de crianças ao suplício do óleo de fígado de bacalhau. Bastava deixá-las brincar lá fora mas, mesmo hoje, prefere-se a vitamina D da farmécia ou do supermercado.

 
Painéis colectores de energia solar - fotosíntese


Monsaraz – clorofila








Alter do Chão – roxofila?

 
Painéis colectores de energia solar


Serpa - fotovoltaica






Alqueva – energia solar suspensa.




 
.
.
.
.
.
.
.

O saco de gelo é um clássico processo de aliviar dores de cabeça.

30.3.07

 
.
.
.
Universidade de Coimbra
Rua Larga

Etiquetas:


 
O mito

E porque persiste o mito?... mais importante que o poder, é a aura que lhe está associada. A propaganda associou a Salazar virtudes que, décadas depois, continuam a ser vistas como decisivas no exercício do poder: o autoritarismo e a solidão. Ana Sá Lopes
................................................................................... ...PT e EDP pagam milhões
....................................................................................aos gestores que saem
Não sei se foi a propaganda ou se foi a frustração;
não sei se a aura emana do autoritarismo ou da autoridade;
não sei se a aura que emana da solidão não será o contraponto do baço vulgar.

Não sei se não será o contraste com os poderosos actuais.

O luar é a única luz que nos guia de noite se não nos munirmos de uma lanterna.

 

Serralves

A seguir, como se impunha.

 
ANOS 80: UMA TOPOLOGIA (Serralves)

Estavam já a desmontar a expo pelo que compreendia ser difícil encontrar as obras d’arte no meio da confusão de contentores e lixo. Só não percebi porque me haviam pedido o bilhete e havia grupos de crianças em visitas guiadas; só então dei conta que a zona (PROLONGAMENTO DE PARTE DA EXPOSIÇÃO) ainda estava como tinha sido “instalada”.

Voltei atrás para rever os baldes, as escadas e os lavabos que julgara meros materiais de construção.
Vi então rascunhos, esboços, rabiscos, ensaios à espera da oportunidade de gerar obras estéticas; o cesto dos papéis da oficina do artista sem inspiração. Donde a pobreza dos suportes, materiais efémeros.
A angústia do autor que se sente incapaz de exprimir os seus sentimentos de uma forma estética; a revolta perante essa incapacidade.
(FW “Se as neuroses fossem visíveis seriam iguais aos meus Adaptives”.)
A tentação erudita do recurso ao texto (Basquiat); às palavras que hão de salvar o mundo. Quando julgava encontrar um bela obra era uma janela que dava para o bosque; o melro fugia e, com ele, a ilusão.
Uma mini varada mísula, o anúncio néon do hotel; um lavabo - Sinks [Lavatórios]*, de RG, a relação entre uma obra e o corpo do observador -- um corpo abjecto e traumatizado. A crise da sida no final dos anos 80 desempenha aqui um papel importante; as camisas engomadas de DS – a quem pertencem? A quem pertenceram? – fazem referência à conturbada situação política da sua Colômbia natal
... Uma cabeleira metálica penteada ou um rio dourado sob os arcos de ponte-pente: Tunga associa a sua onda de cabelo escultórica a conceitos de topologia, uma disciplina científica que propõe uma alternativa à identificação de lugares através da medição métrica.
ZL apresenta um vídeo que mostra uma mulher velha e decrépita, ao que parece reduzida a “ser unicamente” – a única coisa que é capaz de fazer é rodar incessantemente um bacio que se encontra a seu lado, um vídeo de propaganda da Family Frost.

O texto do guia competia com o esoterismo das imagens. AJ expõe quadros que promovem a completa implosão da linguagem: a tautologia toma o lugar da criação de significado. Os quadros de HB podem ser considerados “espelhos cegos”, que nem reflectem o que os rodeia, nem abrem o espaço imaginário da representação. Robert Gober … critica o paradigma minimalista – um número bastante grande de obras desta exposição é enformado por esse legado: o paradigma minimalista é usado para introduzir questões que são ideologicamente excluídas pela natureza contida do minimalismo propriamente dito, nomeadamente a relação entre uma obra e o corpo do observador. A escultura de LD consiste em panejamentos e drapeados que essencialmente não dispõem da estrutura de nenhum dos corpos que alguma vez cobriram e o poste de Thierry De Cordier é “a última figura vertical”, uma obra realizada recentemente mas que apesar disso pertence aos anos 80, na sua condição de obra que refuta a noção de desenvolvimento.

Grupos de crianças seguiam, aborrecidas, a guia que procurava entusiasmá-las – em vão.
Uma delas clamou: Quero ir-me embora!
Eu ouvi: O rei vai nu!
Não basta tentar, gritar, pintar, escrever; é indispensável mas não basta… igualmente indispensável é mondar, mondar, criticar, destilar.

* (Robert Gober Untitled Pair of Sinks, 1985 Plaster, wire lath, wood, steel, semi-gloss enamel 2 parts: 30" x 34" x 27"; 27" x 34" x 27"; overall: 84" long )

29.3.07

 
Inflexigurança

O Presidente da República presidiu à entrega dos prémios depois da sessão da apresentação dos trabalhos premiados. Era uma festa científica; uma sala cheia de médicos, investigadores, psicólogos, biólogos, professores e outros técnicos que se reuniram no IPATIMUP, um instituto de enorme prestígio.
Pois todos tivemos que sair da sala para que uma brigada a vasculhasse e garantisse a segurança do PR e sua comitiva….
O respeito pelo PR, pelo IPATIMUP, pelo mecenas BIAL, pelos investigadores premiados, pela alegria do momento, subvertido pelo arbítrio quadrado dos ridículos critérios guarda-costas.

Senti-me mal e preferi ficar cá fora. Ninguém parece ter-se sentido molestado; preocupante.
O mesmo aconteceu com os jornalistas; não deixaram de citar o bom humor do laureado – futebol e Ms Carolina – mas nenhum referiu o facto – morder é da natureza do cão.

 

Prémio BIAL; um exemplo de excelência.

1. Quase todos os trabalhos premiados usaram a método epidemiológico: "Autismo em Portugal - epidemiologia, investigação genética e molecular". (Guiomar Oliveira e Astride Vicente estudaram exaustivamente um amostra representativa da poplução portuguesa, da clínica ao DNA), "O doente com patologia múltipla em medicina geral e familiar: comorbilidade de quatro doenças crónicas”.- hipertensão arterial, diabetes, cardiopatia isquémica e asma (Mª Isabel Pereira dos Santos) e "Iguais ou Diferentes? Cuidados de Saúde Materno-Infantil a uma População de Imigrantes". (Mª do Céu Machado e Helena Carreiro) analisaram o “agente” e o “terreno”.
E até o de David Lyden, da Universidade de Cornell, mostrou que as metástases dos cancros (o agente) não se distribuem aleatoriamente; tal como os enxertos, pegam onde o “terreno” é propício.
* Nas sociedades humanas como na lavoura e ao contrário do onco-biologia, é o agente (o homem) que escolhe o terreno e o arroteia, regando, estrumando, tornando-o propício -- a história da agricultura.

2. As quatro doenças crónicas estudadas têm grande prevalência na população portuguesa: um em cinco adultos que acorre aos Centros de Saúde sofre de uma destas doenças, muitas vezes de mais do que uma; e não analisaram a obesidade…
O prémio BIAL deste ano foi atribuído a um grupo belga (Daniel Pipeleers) que procura tratar a diabetes transplantando células beta (produtoras de insulina) do pâncreas de dadores mortos; já tiveram êxito em duas dezenas de doentes mas na Bélgica (como em Portugal) haverá 50 mil.
* Milhões de anos de fome apuraram os mais capazes de resistir. A selecção genética é sólida mas lenta; a sociedade não está preparada para a opulência. Assim, numa geração, as doenças carenciais deram lugar às de sobrecarga, curto-circuitando a saúde. Como se as células beta tivessem uma capacidade limitada de produzir insulina -- o excesso esgota-as. São os RN de baixo peso que mais risco terão, em especial se engordarem depressa nos críticos primeiros meses de vida. A biologia não aguenta revoluções; depois de meses a ter que se adaptar a um regime de restrição energética, são incapazes de suportar uma brusca fartura -- a “sindroma metabólica” é a consequência biológica da nossa sociedade de opulência – mais frequente nos países e nas comunidades onde o cenário … mais rapidamente mudou – a penitência dos “novos-ricos”.
O enxerto de células beta é um recurso de emergência para uma pandemia gigantesca.

3. Os filhos de emigrantes têm uma mortalidade perinatal muito superior à dos autóctones. Mais, perdeu-se o rasto a metade dos nascidos no HFF/Amadora Sintra – a maternidade portuguesa mais internacional – metade são filhos de emigrantes.
* As famílias vieram dos PALOP, da Europa de Leste e também de outros países africanos e do sub-continente indiano e vivem em condições muito difíceis; por vezes ilegais.
Como a independência não trouxe a paz nem a prosperidade, vieram procurá-la na metrópole, no rasto dos “retornados”, seus ex-patrões … Malhas que o império tece. É certo que o mesmo ocorreu na Alemanha e na Suiça que não tiveram colónias, mas a responsabilidade das metrópoles coloniais é maior.
O SNS deve privilegiar os que mais precisam; quando os que mais precisam são minorias marginais e emigrantes, temo que uma perspectiva contabilista os não tenha em conta.

 
"Vaga funcionalidade" em Cabo Verde?

Meio século depois de ter começado, a "descolonização" de África pode já ser considerada uma das maiores tragédias da História da Humanidade …
Dois ou três exemplos de Meio século depois de ter começado, a "descolonização" de África pode já ser considerada uma das maiores tragédias da História da Humanidade … Dois ou três exemplos de vaga funcionalidade (Cabo Verde, Senegal ou Botswana) não chegam para fazer esquecer o resto. Luciano Amaral

 
... em lugar de trigo

"Se a gente sonhava que em lugar de trigo ia aqui nascer esta coisa..."

Fotovoltaica em lugar da clorofila.
Que nascerá debaixo dos painéis?

 
As Grandes Portuguesas (nova série)

"A
irmã Lúcia é muito maior do que Madre Teresa de Calcutá."
Voto de Luís Kondor, a face mais visível da causa dos videntes de Fátima

 
IPPAR recusa abertura do túmulo de Afonso Henriques

O Instituto Português do Património Arquitectónico recomendou a rejeição do pedido da Universidade de Coimbra para abertura do túmulo de D. Afonso Henriques para fins científicos.
"Não estavam acauteladas as questões de salvaguarda patrimonial"
"levantou diversas dúvidas quanto à garantia de estabilidade do conjunto tumular"
"não dão garantias totais de segurança para os materiais arqueológicos e osteológicos".

Uma sugestão seria abordar o túmulo pela parede posterior, de menor valor arquitectónico. Foi assim que, dizem, o rei abordou Santarém. Por endoscopia poderão retirar os cem gramas de osso necessários, com total “garantia de estabilidade do conjunto tumular" e “segurança dos materiais arqueológicos e osteológicos" e pelo justo repouso do rei. É claro que isso significa recorrer à Câmara municipal mas, apesar da conhecida lentidão burocrática, sempre será inferior ao ano do IPPPPPAAAAAAR.

27.3.07

 
«Vamos acabar com os pontos negros da estrada»


A DECO denunciou 926 zonas de perigo nas estradas portuguesas das quais 650 continuam por resolver.

 
Mariano Gago admite encerrar a Universidade Independente

A única ?

 

Portugal, Um retrato social

"É um retrato de Portugal e dos Portugueses de hoje, que melhor se compreendem se olharmos para o passado, para os últimos trinta ou quarenta anos". RTP1.
.
Um antigo palácio que já foi capoeira é, agora, uma casa de computadores. Soure.
A rede que separava agora une; não se cumpriu, comprou-se.

 
Um retrato da sociedade contemporânea. É um retrato de grupo: dos portugueses e dos estrangeiros que vivem connosco. É um retrato de Portugal e dos Portugueses de hoje, que melhor se compreendem se olharmos para o passado, para os últimos trinta ou quarenta anos.
.
.Ninguém melhor para o apresentar que António Barreto, no 50º aniversário da RTP. Talvez o político de mais sólida presença na televisão -- os olhos que fitavam e as mãos hipnóticas.
A tranquila explicação da necessidade da Lei da Reforma Agrária, se não convencia, pelo menos lançava fundamentadas dúvidas entre os que acreditavam na epopeia do PREC.
A não perder esta noite.

26.3.07

 
.
.
..
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Portal quinhentista
.
Soure

 

Grandes Portugueses
A compaixão dos maiores

Tarrafal. O posto de socorros; a pia compaixão para presos sem esperança e sob tortura arbitrária.
... cujo nome, do vulgo introduzido
é felix, por antífrase, infelice.
Camões, Canção X.

 
Grandes Portugueses
A compaixão dos maiores

Longe, no meio da Atlântico, na outra ponta de uma seca ilha e de difícil acesso,
Tarrafal, a belíssima praia inacessível aos presos políticos, obrigados a construir a sua própria prisão em Chão Bom.




Junto de um seco, fero e estéril monte,
inútil e despido, calvo, informe,
da natureza em tudo aborrecido;
onde nem ave voa, ou fera dorme,
nem rio claro corre, ou ferve fonte,
nem verde ramo faz doce ruído;
cujo nome, do vulgo introduzido
é felix, por antífrase, infelice.
Camões, Canção X.


 
Eurosondagem

Expurgados dos mortos, chapeladas e outras manhas, os resultados foram muito diferentes. Há vícios que não desaparecem.


 
Lua de sinistro alvor

E ao som dos pios do cantor funéreo,
E à luz da lua de sinistro alvor,
Junto ao cruzeiro, sepulcral mistério
Foi celebrada, d'infeliz amor.

Conchada, Alto de S. João, Prazeres, Ajuda, Benfica, Olivais, Lumiar, Carnide, Agramonte e Prado do Repouso surpreendidos com o sinistro alvor da Lua, com estranhos pios do cantor funéreo e a excessiva conta telefónica de Inverno.

 
O vício do lucro

O português José Calhelha, milionário nos EUA, e a filha, estudante de um dos mais selectos estabelecimentos de ensino superior privado - católico – submetiam a trabalho escravo seis compatriotas a quem prometeram mundos e fundos a troco da nacionalidade americana. Que nunca chegaram a obter. Seis portugueses caíram neste conto do vigário. Uma vez na América, sem vistos, aguardavam-nos 85 horas de trabalho por semana, sem folgas, a que correspondiam 250 dólares por pessoa, descontadas as "despesas com advogados" para a obtenção da legalização, o que se provou, também, ser patranha.


Lei da atracção universal
Dinheiro atrai dinheiro na razão directa de massa e na inversa do quadrado da decência.

 
Formação obrigatória

Para trabalhadores da Função Pública com mau desempenho

Os alunos mal comportados irão estagiar na FP

 

Pastéis de Tentúgal
.
.
.
.
.
.
A casa mais antiga

25.3.07

 
Cem Soldos

Quando não havia ramal de Tomar, os passageiros saíam do comboio em Porto da Lage onde havia carros de mulas para os levar à cidade. Havia três classes como nos comboios; os preços eram diferentes mas os lugares eram semelhantes. Aos que reclamavam, o tio Manuel Augusto replicava que mais tarde perceberiam a razão.

No início das subidas mais suaves, apeavam-se os da terceira classe; depois os dasegunda e, por vezes, os da primeira.
Nas ladeiras mais íngremes os da terceira eram chamados a empurrar e assim sucessivamente até que, perto do cume, até os da primeira, contrariados, ajudavam.
Era em Cem Soldos.

 

A redução do défice ou o escaravelho de Sísifo

Já se conseguiu muito mas ainda falta bastante e o rabo é o mais difícil de esfolar.
Já se fala em aliviar a pressão com risco de tudo voltar ao princípio.


Até agora o esforço coube aos mesmos de sempre; espero, por fim, ver todos envolvidos.
Lucros dos quatro maiores bancos privados sobem 30%

 
Poesia na rua, em Kinshasa

Uma hora por minha conta no centro de Kinshasa e eu era um homem morto. Precisei da protecção de duas crianças. Paula e Pedro, 17 e 16 anos, nasceram em Kinshasa, filhos de imigrantes portugueses e viviam sozinhos na cidade: "Diz-me o que desejas. Qualquer coisa. Não há nada que eu não consiga."
Paulo Moura. Público 25.03.2007


Só sei que tinha o poder duma criança
Entre as coisas e mim havia vizinhança
E tudo era possível era só querer.


Ruy Belo, recordado por Nicolau Santos


 
Há Mar e Mar; há pedir e levar

Associados do Clube de Campismo de Lisboa da Costa de Caparica decidiram, por unanimidade, dirigir ao Ministério do Ambiente um pedido de indemnização pelos prejuízos que o mar provocou no parque.

O MA aceitou subsidiar a reconstrução do parque nas margens do Guadiana para evitar que os Associados do Clube de Campismo de Lisboa da Costa de Caparica tenham que tornar a decidir, por unanimidade, dirigir ao Ministério do Ambiente um pedido de indemnização pelos prejuízos que o mar torne a provocar no parque.

 


Grandes Portugueses

Quantos dos Grandes Portugueses manifestavam esse comportamento? Indique três.
Quantos dos Grandes Portugueses manifestam esse comportamento? Indique três.

 
Grandes homens

"As pessoas com lesões no VMPC (córtex pré-frontal) têm comportamentos estranhos; falta-lhes empatia e compaixão."


24.3.07

 
Rebajas consequentes

A lei da oferta e da procura

DESCONTO EM INFANTIL E BEBÉS

 
Dívida


Cada português deve 25 notas destas ao estrangeiro

 
A despenalização

Dos 13 portugueses detidos em Espanha - suspeitos de escravizarem trabalhadores em Navarra -, pelo menos quatro já tinham sido constituídos arguidos em 2005. Indiciados por tráfico de pessoas e associação criminosa foram todos libertados, sujeitos a termo de identidade e residência, que não terão cumprido. Estes intermediários têm quase todos casa em Espanha e há muitos anos e circulam entre os dois países, o que torna difícil a sua localização. Público 24.03.2007

Concorda com a omissão da referência étnica a alguém implicado numa agressão, oriundo de um
grupo social responsável por 17 vezes mais assaltos à mão armada que os outros portugueses?

"não basta oferecer oportunidades, é preciso que alguém as agarre"
Público 18.03.2007, Graça Barbosa Ribeiro cit Gouveia Monteiro, vereador da CM Coimbra.

 
A resiliência de Esmeralda e dos pais é superior à dos “meandros judiciais

1. O Tribunal ordenou que a menina se apresentasse "livre de constrangimentos" e não notificou a polícia sobre consulta (fez bem). Fonte ligada ao processo disse (fez mal - nem segredo de justiça nem médico) que os dados da consulta são satisfatórios e indiciam que a menor se encontra bem de saúde, quer do ponto de vista físico quer mental (ainda bem). Público. 23,24.03.2007
* Um novelo que a Justiça parece começar a desembrulhar adequadamente; é tempo, que a criança parece incólume.

2. O advogado do pai biológico manifestou a sua indignação: este episódio é "mais um sinal da falta de vontade" do Estado para resolver este impasse judicial. Público. 24.03.2007
* Para a “demonstração causal do papel das emoções nos juízos”, mais válido que os inquéritos é a análise de factos reais. Damásio aos tribunais!


3. ... e anuncia a sua intenção de recorrer ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. Público. 24.03.2007
* Não seria preferível recorrer ao Tribunal Europeu dos Direitos da Criança?

23.3.07

 

Rebanho atento

 
Patrões querem ter a mesma hora que a Europa

Os poderosos sempre oscilaram entre a atracção das potências centrais (Madrid/Paris) e as periféricas (Londres).
Agora, os patrões preferem a hora financeira de Madrid à geo-política de Londres.
Em vez de forçar o bio-ritmo não seria melhor não se atrasarem mais?

 
Mercado da saúde

É da natureza de uma grande multinacional farmacêutica (Merck) que promova o seu produto.






Que o PSD associe saúde com medicamentos é grave; com o seu preço ainda é pior.

 
Ilusão

A transparência, o rigor da geometria e a dureza do diamante faria supor tratar-se de uma substância homogénea – carbono puro. Não é assim – há uma grande variedade de isótopos de carbono e de teor de azoto; mesmo os diamantes encontrados no mesmo nicho apresentam esta heterogeneidade.


 
Sociobiologia tuberculosa

No ano passado, em Portugal, registaram-se 3092 novos casos de tuberculose (835 – 27%- no Porto) e 240 recaídas (87 -36%-no Porto). Em 2005, a taxa de incidência desta doença estava situada nos 31 em cada cem mil habitantes (46,9 -1.5x - no Porto) (DGS). Público, 23-3-2007

A incidência da tuberculose é maior nas zonas mais “ricas”.
A tuberculose é uma doença “social” que se esperava desaparecesse com o crescimento do PIB; não é assim.
O Mycobacterium tuberculosis invade as células que se esperava que o eliminasse; ali sobrevive e se multiplica em vacúolos, escondido da polícia imunitária. Aproveita as fissuras que o crescimento do sistema cria.

Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter