alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

31.10.18

 

O último grito da Arte Moderna


O Grito. Munch fecit
O grito mumificado. Gulbenkian. Autor

Etiquetas: ,


30.10.18

 

Cinegética e genética


 O que se aprende nos museus: perspectiva.


 

O mercado bolina



      Tira partido do antagonista; dá-lhe a volta.
                                               
Arte Moderna Gulbenkian



Espelho de montra

Etiquetas:


 

Não há publicidade grátis



A aranha oferece teias grátis às moscas que enviarem um sms com a palavra tola. 



Etiquetas: ,


29.10.18

 

Selfilmes


O que se aprende nos museus: Projecções de selfilmes femininos a preto e branco.(CCB, Gulbenkian)

Helena Almeida CCB
Túlia Saldanha 1980

Mª José Oliveira 1940


Etiquetas:


 

Loxodromia


 A espiral é maneira mais fácil de chegar ao vértice dum cone.

Srª da Graça, Mondim de Basto
 “Curva loxodrómica” Pedro Nunes












É também a maneira mais fácil de conseguir honras imerecidas.

Ambição,s.f.  Desejo ardente e  immoderado de conseguir honras, louvor, fama, empregos, fazenda, autoridade, poder etc. Mont. Art. 14.11.
"ambição vem da palavra ambire, que he o mesmo que correr, ou cercar em roda, como faziam antigamente os pretendentes de dignidades, e magistrados da república, que corrião toda a cidade, cortejando huns e outros, e ganhando a benevolência dos que podião ter voto" Lus. 9.93.

A. Morais e Silva. Diccionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro 1889 

* Será por isso que espiral e esperar são palavras parecidas.

Etiquetas:


 

Inesperados benefícios da asneira*

Em 1537 Pedro Nunes publicara um livro com resultados surpreendentes, que abriam perspectivas novas acerca da navegação. Discutira, pela primeira vez, as complexas propriedades geométricas das cartas náuticas e fizera propostas matemáticas relacionadas com as navegações de longa distância. .... Nunes chamou-lhe “linha de rumo”, e mais tarde ficaria conhecida por “curva loxodrómica”.
Tudo isto tinha potencialmente implicações na cosmografia, na cartografia e na navegação.
A publicação deste trabalho gerou uma polémica científica em Portugal. Um não identificado bacharel publicou uma crítica ao texto de Pedro Nunes, a que este se viu na necessidade de responder. Em parte por causa desta discussão, as novas ideias propagaram-se rapidamente para a Europa: em 1541, Mercator construiu um globo onde desenhou pela primeira vez as novas curvas da navegação.

Mesmo pessoas com escassos conhecimentos científicos não ficaram indiferentes. Em 1549, o português Diogo de Sá publicou em Paris um opúsculo onde, apesar de mostrar pouca compreensão das ideias de Nunes, prestou o serviço inestimável de traduzir para latim vários excertos da obra que este publicara em português em 1537. Em latim, esses textos chegaram a mãos mais competentes, que rapidamente perceberam o seu alcance.
Henrique Leitão  (parabéns)
* Indirectamente da asneira, directamente da dialética.

Etiquetas: ,


 

grande e próspera Nação grande e próspera



Não deixemos aviltar na mesquinhez das lutas intestinas este povo tão dócil, tão bom e sempre tão sacrificado às insuficiências e desvarios do seu escol dirigente!
Não deixemos que um povo com tão grandes possibilidades, com tão largas reservas de energia e de riqueza, com tantas qualidades de sacrifício, dedicação e patriotismo tenha o aspecto triste dos que assistem às grandes derrocadas históricas e desistem de construir o seu futuro! 
Dêmos à Nação optimismo, alegria, coragem, fé nos seus destinos; retemperemos a sua alma forte ao calor dos grandes ideais, e tomemos como nosso lema esta certeza inabalável: Portugal pode ser, se nós quisermos, uma grande e próspera Nação. Sê-lo-á.

«Elogio das virtudes militares» - «Discursos» 1930


Etiquetas:


28.10.18

 

Capuz, burka, bioco


Tanta mostra, tanta montra
O que se aprende nos museus: moda a preto e branco, exibições, projecções ...
Selfie de Helena Almeida com embiocado
Uma elegante 1915 (Ant. Soares)

Etiquetas: , ,


 

Capuz obrigatório



 .. a total perda de identidade e o cerceamento da comunicação ... destes rostos fantasmas...
Dizem que a história se repete.




O bioco das algarvias foi proibido em finais do Sec XIX; em 1913, a República aboliu o capuz na penitenciária.
Cem anos depois, um capuz semelhante é imposto às mulheres de muitos países; algumas ostentam-no como desafio me países onde essa imposição é proibida e o bioco tornou-se moda masculina.

Disseram que era o fim da história.
Dissemos que fascismo nunca mais.
Dissemos que o povo unido, jamais ... 

Etiquetas:


 

Memedemia



Vós que lá do nosso império
prometeis um mundo novo,
calai-vos, que pode o povo
qu'rer um mundo novo a sério.
António Aleixo



meme 
(do grego mimemaimitação, cópia)
1. Imageminformação ou ideia que se espalha rapidamente através da internetcorrespondendo geralmente à reutilização ou alteração humorística ou satírica de uma imagem.

2. Ideia ou comportamento que passa de uma geração para outrageralmente por imitação.

.

Etiquetas: ,


27.10.18

 

Filigrinação cardíaca

.

O que se frui nos museus (CCB, Gulbenkian)

Mª Adelaide Lima Cruz
"R. do Ouro e R. da Prata" 1930

Etiquetas:


26.10.18

 

Disfunção pública


A greve da função pública foi um êxito.
Para exigir aumentos salariais não hesitam em nos tomar a todos por reféns. 
E toda a gente amoucha.

Etiquetas:


20.10.18

 

Lixo urbano



Quase 30 kg de lixo não reciclado per capita urbana portuguesa por ano

Etiquetas:


 

Cosmítico


Prima para parecer maior do que é

Substância ou tratamento … para alterar a aparência, para embelezar ou realçar o atractivo da pessoa. A palavra  "cosmético" deriva da palavra grega kosmetikós, que significa "hábil em adornar".

Mito 
(latim mythos-ifábulado grego mûthosoupalavra
discursocoisa ditacontohistórianarrativaficção)


Etiquetas:


19.10.18

 

De cabeça perdida


Uma boa imagem para a notícia - uma figura de cabeça perdida (ou zonza de tanta ínsua ou diazepina) procura resolver um equação complexa com recurso a um gráfico.

Mas um mau título: Professores acham? (acreditam? consideram? crêem? entendem? imaginam? julgam? pensam? presumem? reputam? supõem, suspeitam?) 

Consomem medicação ou tomam medicamentos? 

O bazar a guiar A Caneta que escreve e a que prescreve, deixa-nos a cabeça zonza.



Etiquetas:


 

Basta de reféns de greves


Finalmente a/os enfermeiro/as dão conta do absurdo deste tipo de greves que faz reféns entre os seus doentes.
Ainda bem.

Etiquetas:


 

Egojusticialismo

 .
O magistrado fez declarações que suscitam dúvidas ... que envolvem a possibilidade de o processo ser manipulável para aumentar a probabilidade de ir calhar a um determinado juiz.

Jair Bolsonaro, candidato à presidência do Brasil, diz que não vai aceitar o resultado das eleições se não for ele o vencedor.



Etiquetas:


 

Ordem no bazar


Lagos - Mercado de escravos

Etiquetas:


18.10.18

 

Greve de professores


Tribunal da Relação de Lisboa considera ilegais serviços mínimos na greve dos professores
Em causa a greve às avaliações do final do ano lectivo passado.

* Ora até que enfim que um tribunal considera que numa greve de professores às avaliações dos seus alunos não deve haver serviços mínimos mas integrais.

Etiquetas:


 

Risco de pobreza



Portugal em 11.º lugar no risco de pobreza ou exclusão social

numa lista de 26 Estados para os quais estão disponíveis dados relativos a 2017.

* Porque será que os jornais gostam mais de fotos e de números que de gráficos?

Etiquetas:


16.10.18

 

Psicanálise dos autores dos Apocalipses


No Jornal das 8 de TVI de ontem (15 de Outubro de 2018) o comentador MST (cuja opinião procuro não perder) repetiu a mantra sobre a falta de meios no combate aos fogos de há um ano:

“Falta de meios para combater os incêndios, sobretudo meios aéreos”…
 “Gastamos fortunas com bombeiros e protecção civil e, na hora da verdade, as populações são entregues a si mesmo…”
Curiosamente, minutos depois, o mesmo MST prognosticou que “por mais dinheiro que a gente meta nos meios de combate aos incêndios não vamos conseguir combatê-los” se se mantiver a floresta como está.
Cinco pátios da Universidade por segundo


* Há um ano critiquei o Relatório que me pareceu toldado também pelo fumo dos incêndios; parece que o ciclone do fim de semana também varreu o habitual lucidez de MST. 
Quando o senso falha, le naturel revient au galop.
** Apocalipse significa desvelar ... o que implica um véu.


Etiquetas:


15.10.18

 

Queixume da isca


Que fora contratada pela empresa para servir de isco, não de isca.

Etiquetas:


14.10.18

 

Publicidade


A Caixa, de portas abertas
Mesmo na noite mais triste
em tempo de furacão
há sempre alguém que resiste...




(Buarcos - foto de António Durão)

Etiquetas:


13.10.18

 

A vindima - património cultural


Valença do Douro
As festas das colheitas são um património cultural desde há dez mil anos. A agricultura mecanizada e intensiva extinguiu-as, mas há vinha que ainda a isso resiste — no Douro em particular, Douro que é património da humanidade e que só se manterá assim enquanto for preservado, o que implica ser valorizado.


Travanca - Amarante
A escola poderá aí ter um papel importante ao mostrar aos jovens todos os aspetos da vindima (verdadeiro património cultural) — trabalho duro, a gesta e a festa do labor coletivo e a beleza do local e do processo.
As escolas escolheriam uma “semana nas vindimas”. Com os professores, os alunos iriam para as vinhas — em horas e com tarefas adequadas (sesta incluída) —aproveitando parte dos intervalos para “aulas” interativas a cargo de agentes locais convidadas pelos professores.

Isto não resolveria a crescente falta de mão de obra mas faria encarar a tarefa da vindima com outros olhos, verdadeiramente mais cultos.

Etiquetas:


 

Honoris causa pela Universidade de Grève


A Universidade de Grève deliberou atribuir o título de Doutor honoris causa a Mário Nogueira pelos notórios resultados na divulgação desta.

Etiquetas:


 

Jacques Brel morreu há 40 anos


Em 1964 cantava 
Dans le port d’Amsterdam 
Y a des marins qui chantent 
Les rêves qui les 
hantent ...
https://www.youtube.com/watch?v=ZkZ_ihsn404

No prefácio da Utopia, Thomas More diz que foi um marinheiro português chamado Rafael que, numa taberna de Amesterdão, lhe falou dessa ilha perfeita. Onde ficava ele não disse.
Então Thomas More chamou-lhe Nusquama, palavra que, em latim, significa “Em parte alguma”. Erasmo, que era amigo dele, aconselhou-o a substituí-la pela palavra grega Utopos, que quer dizer a mesma coisa: “Em parte alguma”.
Manuel Alegre Expresso 2002

Em 1975, depois de escala nos Açores no seu veleiro, Brel chega à baía de Atuona, na ilha Hiva’Oa no arquipélago das Ilhas MarquesasPolinésia Francesa, o mais longe possível de Paris, onde está enterrado.

Etiquetas:


 

Religião política



A maior parte do tempo, experimentamos o desencontro de Deus, o seu extenso silêncio. Santo Agostinho conta isso num dos capítulos das Confissões:
 “Perguntei à terra e ela disse-me: ‘eu não sou’ — e tudo que nela existe respondeu-me o mesmo.
 Interroguei o mar, os abismos, os répteis animados e vivos e responderam-me: ‘não somos o teu Deus, busca-o acima de nós’.
Perguntei aos ventos que sopram, e o ar com os seus habitantes respondeu-me: ‘Anaxímenes está enganado, eu não sou o teu Deus’.
Interroguei o céu, o sol, a lua, as estrelas e disseram-me: ‘nós também não somos o Deus que procuras’.
Disse então a todos os seres que rodeiam as portas da carne: ‘já que não sois o meu Deus falai-me do meu Deus, dizei-me ao menos alguma coisa dele’.”
Esta é a condição peregrinante da fé. Buscamos a Deus sem o ver, escutamos a sua voz sem verdadeiramente o ouvir. Tateamos o seu rosto no vazio e no silêncio
No filme “Nostalgia”, de Andrei Tarkovski, há uma cena onde se vê uma multidão que se move de um sítio para o outro, numa demanda sem resolução. Ouve-se então uma voz que irrompe como um grito:
“Mas diz alguma coisa Senhor; diz-lhes uma palavra;          

* "D'Alema di' una cosa di sinistra, di' una cosa anche non di sinistra, di civilità."
"Aprile" (1998) de Nanni Moretti.

Etiquetas:


12.10.18

 

Trans discriminada




“Não se mata alguém apenas com uma facada, com um tiro... As identidades trans ocupam esse espaço do marcador social da morte no mundo todo. 
... quantas pessoas trans conhece você, que está conversando comigo? 
Quantas pessoas trans você beijou no rosto nesse último mês? 
Com quantas pessoas trans você trabalha? 
Sinto que, às vezes, é como se isto fosse um longo e cruel processo de tortura para ver até onde vamos aguentar sobreviver. 
Se não nos vemos representadas nos meios de comunicação, 
se não conseguimos ocupar espaços no mercado de trabalho, 
se não somos bem vistas na instituição da família, 
se não somos nem ao menos aceites na instituição do amor, 
então tudo isso são formas de nos matar, de matar a nossa identidade.”


*  Haverá gente trans suficiente para tanta representação?

Etiquetas:


11.10.18

 

Um meme tesaurismótico


"... politizar sem primeiro instruir provoca a intervenção do mais grosseiro rosto dos desejos humanos. 
Aparece a cupidez e a insolência e por aí adiante".  
Agustina Bessa-Luís, Dicionário Imperfeito 

1. O crédito está a aumentar a cada mês e situa-se no valor mais elevado dos últimos anos, revela o Jornal de Negócios.
Mais do que pedir dinheiro para comprar casas, o endividamento cresce no crédito ao consumo.
2. Os sindicatos e os partidos de esquerda privilegiam os rendimentos (dos seus associados) à melhoria dos serviços públicos. Ignoram olimpicamente os portugueses, sua razão de ser.

 3. A DECO está a receber cada vez mais pedidos de ajuda de famílias que já não conseguem pagar créditos contraídos no último ano, especialmente no crédito ao consumo.

4. No Dia Mundial da Obesidade

Portugal é um dos países "com maior taxa de obesidade na União Europeia" (OMS) 
 Há 1,4 milhões de pessoas obesas em Portugal, seis milhões se se contar as pessoas com pré-obesidade;ª um terço das crianças portuguesas entre os 2 e os 10 anos têm excesso de peso, das quais 14,6% são obesas.
ª  Em Portugal, na última década, a sua prevalência passou de cerca de 14% para 28%. Isto é, duplicou.
"É urgente que a terapêutica farmacológica seja comparticipada e, assim, acessível a todos" diz a presidente da SPEO.

Faltam nutricionistas e há longas listas de espera para cirurgias no serviço nacional de saúde.

* "Nesta vida de pouca actividade e abundante fécula..." Aquilino Ribeiro. Geografia Sentimental 1951 os tugas endividam-se, os sindicalistas reclamam ao governo melhores rendimentos para os FP e os representantes dos obesos pedem que o Estado comparticipe mais medicamentos e contrate mais nutricionistas no SNS.

 Esta é uma boa experiência! Dinato, escreve isso bem:
- Todo-o-Mundo tem direito a tudo e Ninguém deveres a nada.

10.10.18

 

Ψortugueses


"Num país em que a ocupação geral é estar doente"
Eça 1888

Vendas de ansiolíticos aumentam em 2017, depois de dois anos a descer.
* Afinal as vendas aumentaram 1% 
(um por cento)

Em Portugal, "quase não há respostas para além das farmacológicas", lamenta director do Programa de Saúde Mental. 
Quem diria; não há incidente cuja notícia não termine com a informação –  o (ou a família) teve acompanhamento psicológico.

No consumo de ansiolíticos e antidepressivos, "estamos quase no dobro da média europeia".
* E os antidepressivos a crescer 33% em 5 anos.



Só um quarto dos portugueses mais velhos diz ter tido uma vida feliz.


Etiquetas:


 

Oliveiras ansiosas


Oliveiras de antes de Cristo, que viram passar os mouros,  ansiosas por terem resistido tanto sem medicamentos nem Medicina.

Etiquetas:


 

Greve de enfermeiros


Mais de 100 dias deste ano foram afectados por greves de enfermeiros
Começa hoje mais uma greve no sector: dois dias esta semana e quatro na próxima. Guadalupe Simões, do SEP, acredita que “apesar de tudo as pessoas percebem” os motivos destes profissionais.

* As "pessoas (poderão) perceber” os motivos destes profissionais ... mas não perceberão que os enfermeiros não encontrem outro processo de reivindicar do que fazer reféns entre os seus doentes, mais de 100 dias deste ano.
Tal como não entenderão os professores, médicos e os juízes que também o fazem.

Etiquetas:


Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017   05/2017   06/2017   07/2017   08/2017   09/2017   10/2017   11/2017   12/2017   01/2018   02/2018   03/2018   04/2018   05/2018   06/2018   07/2018   08/2018   09/2018   10/2018   11/2018   12/2018   01/2019   02/2019   03/2019   04/2019   05/2019   06/2019   07/2019   08/2019   09/2019   10/2019   11/2019   12/2019  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter