alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

27.2.07

 

A expectativa da Europa padrão
A sociedade saciada não tem grande esperança de melhoria

 
Ler o futuro das crianças europeias na palma das mãos

Quase dois terços (64 %) dos europeus acham que as novas gerações terão uma vida mais difícil do que eles tiveram. Mas os portugueses olham para as coisas de outra maneira: 57 % dizem que quem é agora criança irá ter uma vida mais fácil. Eurobarómetro.

"As crianças maltratadoras, que insultam os pais, que agridem física e psicologicamente, são produto de uma sociedade que, quando considerou o século XX o século da criança, provocou profundas alterações no modelo educativo", e os resultados nem sempre foram os esperados."Não se prepararam as crianças para os "nãos da vida". Manuel Coutinho, psicólogo e secretário-geral do IAC.

queixa do Comité Mundial contra a Tortura
"As estaladas e as palmadas, se não forem dadas, até podem configurar negligência educacional", para o Supremo Tribunal de Justiça o que o Comité Europeu dos Direitos Sociais considerou censurável.



 
Mamíferos recentes 2

É claro que se referem a adultos onde não fazia sentido manter um enzima para o açúcar do leite que, como mamíferos, não seria de esperar que ainda bebessem. Só os bebés o fariam enquanto não fossem capazes de buscar o cálcio necessário aos ossos e às espinhas.
Pastores e criadores de gado começámos a competir com os bezerros, bebendo-lhes o leite e comendo-lhes a carne. Ao princípio teria sido difícil – sem lactase, que só era activo na infância, toda a ingestão de leite era seguida por flatulência e diarreia, tidas como castigo pela selvajaria.


Só nada sentiam os que sofreram uma mutação que lhes permitiu manter activa a lactase intestinal; foram eles e os seus filhos que sobreviveram a épocas de fome e seca de há 70 séculos, bebendo leite sem sacrificar as manadas. Hoje 90% dos europeus nórdicos são descendentes dessa feliz mutação acidental.

O problema mais interessante é a razão porque sobreviveu a grande maioria dos povos pastores a criadores de gado onde não ocorreu essa mutação e que permaneceram intolerantes à lactose.
A razão foi o iogurte (e o quefir e o queijo), produto da fermentação da lactose pelos lactobacilos com produção de ácido láctico. Sem lactose, deixa de haver intolerância; o ácido láctico impede a contaminação bacteriana e induz uma saudável ecologia digestiva que levaria a uma longa vida como Mechnikov (Nobel 1908) entreviu há cem anos. São os probióticos.
Huíla, Angola 1963




 
Mamíferos recentes

"A capacidade genética para conseguir beber leite é mais recente do que se pensava."
O jornal descobriu que o homem só é mamífero há pouco tempo e continua:
O normal é não nos darmos bem com o leite de vaca”!

Durante o último século, milhões de bebés desmamados sobreviveram bebendo leite de vaca mais ou menos modificado.

 
moeda ao ar

Por vezes a procura da solução óptima tem um custo muito mais elevado do que teria a escolha da solução menos boa. J. Vítor Malheiros. A sorte, a razão e o preconceito. Público 27.2.2007

Com esse mesmo fundamento defendi, há 8 anos, o sorteio como prova de admissão à Universidade.
Se se reconhece que não há processo seguro de escolher os jovens que, com grande probabilidade, irão ser bons médicos, há que tirar as necessárias ilacções. Nestas condições, o processo de escolha menos criticável é o que der idênticas probabilidades a todos os bons candidatos -- a tiragem à sorte entre os bons candidatos (com ≥16 valores, por exemplo). Este processo, semelhante ao que a Holanda utiliza há anos, tem a vantagem de ser socialmente equitativo (Expresso, 26-6-99, DN 28-12-1999)”
Por vezes, o óptimo é inimigo do bom.

 
"Não há nenhum autarca tão preocupado com a lei como eu"
Fátima Felgueiras
«É normal e habitual que os partidos tenham contas paralelas». «Quem defender que a angariação de verbas para as campanhas eleitorais corresponde a um desvio de fundos desconhece o funcionamento dos partidos políticos sem excepção»

26.2.07

 
São José recusa o BPI

Bluff e batota
comissões de aconselhamento… cercear o direito à liberdade de decisão da mulher.” 24.02.2007, São José Almeida

 
33 anos depois de 1974

A desigualdade da repartição dos rendimentos, que já era muito maior que a europeia, tem aumentado nos últimos anos. Em 2000, o rendimento dos 20% mais ricos era 6,4 vezes o dos 20% mais pobres; em 2005 essa discrepância aumentou para 8.2, apesar de salário mínimo (em paridade de poder de compra) ter estabilizado.
.............................O aumento das desigualdades em Portugal. Eugénio Rosa.

Era útil saber qual destes grupos se tem endividado; se há uns que não bebem café para pagar as prestações da casa enquanto outros compram a bica, o jornal, a segunda habitação a crédito mal parado tal como o carro.


 
Geração 68-74: Famílias pedem à banca 58 milhões por dia

Em 2006 os portugueses contraíram quase 2000 milhões de euros para consumo. Um fenómeno normal em países desenvolvidos.

Uma bica por dia a crédito; será paga pelos filhos que não têm.
Um fenómeno normal em países desenvolvidos.

 
Pedra Preciosa: a Reportagem SIC sobre Esmeralda.

A avó que não deixa falar o marido – desde antes do 11/II.
O técnico levando a carta a Garcia – pronto a tratar os sintomas, abstendo-se de opinar sobre as causas.

A responsável pela adopção da Segurança Social -- “segurança” e “cumprimento das normas”-"Choque e Pavor": capaz de gelar a Marcha dos Pinguins.

25.2.07

 

Os que mais precisam ou os que mais protestam?

Recuo do ministro deixa autarcas a clamar vitória.
Trata-se de municípios onde houve acções de protesto.

 
O referendo sobre a despenalização do álcool ao volante no Carnaval

"O número de detenções por condução sob influência do álcool foi o maior de sempre” No total, houve 1168 situações em que os condutores beberam de mais.
"É desastroso e é vergonhoso. As pessoas não têm cuidado nenhum." Para o director do Centro Regional de Alcoologia do Sul, só "fiscalização e sanções imediatas" poderão mudar o panorama. "Sou o primeiro adepto das campanhas de prevenção, mas têm de ser acompanhadas de sanções. Senão as pessoas riem-se da prevenção, não ligam nenhuma."

 

O futuro referendo

"Concorda ou não com a despenalização do parto duma gravidez levada a termo, se realizada por opção da mulher, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?"

 
Projecto “ABC da Ciência”

ESPELHO MEU...
(REFLEXÃO)

Quando olhas para o espelho vês-te. É o teu reflexo.

Precisas de:
· Um espelho
· Um amigo

Um espelho plano reflecte a imagem real, embora invertida (direita e esquerda)

 
Reflexão SIM mas sem espelhos

Movimentos do “SIM” defendem lei baseada no modelo alemão.
Quatro dos cinco movimen­tos do "Sim" à despenalização da IVG defenderam a ela­boração de uma lei baseada no modelo alemão, que prevê três dias de reflexão “partilhado pelo médico e o obstetra, para concretizar a ideia de privacidade do acto».
AM, dos Médi­cos pela Escolha, rejeitou a criação de comissões de acompanha­mento para as mulheres que pre­tendem interromper a gravidez. Diário de Coimbra 25-2-2007

Ora, o Tribunal Constitucional alemão decidiu (1993) a introdução de um sistema de aconselhamento constitui uma garantia constitucional fundamental que consubstancia a melhor forma de harmonizar os diferentes valores jurídicos em confronto, mas que não deve pôr em causa a liberdade da mulher.
1. A contradição aparente deve-se a que a lei é de 1993 e o modelo referido ser o da Alemanha de Leste. Ali, como se sabe, a reflexão era permitida mas não havia espelhos; tinham sido gastos a forrar o muro.
2. É curioso que o porta-voz dessa rejeição dos 4/5 tenha sido um médico “pela Escolha”: “pode escolher a cor que quiser, desde que seja preto".
3. Sintoma da confiança que os 4/5 têm na solidez da “opção da mulher”.


24.2.07

 


 
Coimbra, anos 50
.
.--Oh Zé, como vai esse fado moscovita?
.
Águas do rio correndo
Poentes morrendo
P'ras bandas do mar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto
A cantar

 

Arque-antropologia actual

Idade da Pedra dos símios
Chimpanzés fabricam pequenas lanças para caçar primatas mais pequenos; na maioria são jovens e fêmeas. Nunca machos adultos, que preferem caça grossa. Current Biology.


Concorda com a despenalização da caça de pequenos primatas … da Idade da Pedra.

 
O regime social-resignado

A sociedade portuguesa, como qualquer outra sociedade "europeia", assenta num pacto. O Estado-Providência garante a reforma, a saúde e a educação dos filhos a toda a gente (ou a quase toda a gente) e, em contrapartida, toda a gente aceita o regime estabelecido.
Os pobres precisam do Estado-Providência para sobreviver ou, pelo menos, para sobreviver com alguma dignidade e segurança.
E à classe média o Estado-Providência oferece o supérfluo. Dispensada de poupar para a velhice, a doença e a família, a classe média pode "consumir" como nunca até hoje "consumiu". Fora que na burocracia e nos serviços do próprio Estado-Providência encontra dezenas de carreiras de relativo prestígio.
O país não gosta com certeza da estagnação e da "austeridade", mas primeiro quer ficar com o que já tem.

VPV 24.02.2007, Público.

 
De olhos fechados

Infarmed ordena suspensão da venda de sete marcas de soro fisiológico por “existência de um nível acima do previsto de microorganismos”. Este soro é usado na lavagem das fossas nasais ou dos olhos.

O Infarmed aconselha que se mergulhe no mar de olhos fechados.

 
Chassez le naturel, il revient au galop


Quem prende a água que corre
é por si próprio enganado;
o ribeirinho não morre,
vai correr por outro lado
.
A. Aleixo

 
Arqueologia actual

Rafael Correia fala com um agricultor algarvio enquanto passa um pastor com o rebanho e um caçador. Recordaram a lenda das amendoeiras em flor num Lugar ao Sul.
Toda a pré-história moderna telescopada nuns minutos.
Era um agricultor a meio-tempo. Vendera a herdade para uma urbanização; a história contemporânea.


Candeia por estar tão alta
não deixa de alumiar.
Meu amor por estar tão longe
não deixa de me alembrar.

23.2.07

 
Medicalização de problemas sociais 2
se os médicos prejudicarem a aplicação da lei...


Se nós víssemos que a decisão dos portugueses e a consequente aplicação da lei estava prejudicada pela acção dos médicos, teríamos que intervir” J. Sócrates. Única/Expresso 17-2-2007.

Não creio que fosse necessário invocar objecção de consciência para não realizar a amputação proposta pelo dono do dedo. Ninguém pode obrigar um médico a receitar ou intervir se este o considerar desnecessário. Não atinge o nível de imperativo ético; é um firme imperativo deontológico com uma sólida base racional.
O que se referendou foi a despenalização de um acto, o que o não torna obrigatório, creio. O médico não é obrigado a satisfazer toda e qualquer opção da mulher; em especial no consultório. Nem do homem nem do Estado.
O resultado do referendo apenas compromete o Estado e o MS a permitir que o aborto a pedido seja realizado no SNS onde há critérios que não devem ser atropelados. Mesmo que o MS (que não é capaz de reduzir a lista de espera de intervenções indispensáveis de doenças sem prevenção) entenda assumir a responsabilidade de assegurar a realização de todos os abortos a pedido, essa assunção compromete o SNS e não cada médico individual; quando muito os obstetras “pela escolha”.

 
Medicalização de problemas sociais

Naquele tempo havia serviço militar obrigatório; todos os mancebos eram inspeccionados para excluir os que não eram considerados aptos para o serviço. Muito jovens procuravam maneira de ser considerados inaptos (“livres”) alegando doenças ou metendo “cunhas”.
Um médico foi sondado nesse sentido mas não podia atestar doença num rapaz tão obviamen
te saudável. Perante a insistência do pai e cansado de argumentar racionalmente, o médico terminou dizendo que o pai não quereria que cortasse um dedo da mão do filho...
Pai e filho saíram constrangidos; voltaram uns dias depois – vinham para a operação…

Concorda com a despenalização da amputação do indicador direito, por opção do dono do dedo, nas primeiras dez semanas após o recenseamento, para evitar a humilhação da prisão do desertor.

 

A irradiação da tinha
Confirmada relação entre tinha e tumores

1) Para erradicar a tinha, uma doença desagradável e contagiosa, irradiou-se o fungo causador e a cabeça infestada da criança.
Desconheciam-se os efeitos secundários dessa terapia, então em voga; era “uma prática na altura tida como correcta” na “maioria dos países europeus e nos EUA, que foram feitos pela nossa civilização

Conhecem-se agora os resultados desta atitude mas não se aprendeu a lição:
a) Invade-se o Iraque sem ter em conta eventuais danos colaterais
b) Chama-se doença a qualquer incómodo de difícil resolução para justificar a sua irradiação.
c) “para reforçar a capacidade de atracção para Portugal de portugueses e estrangeiros com altas capacidades académicas e científicas" “licenciaturas e mestrados obtidos no estrangeiros passam a ter
reconhecimento automático em Portugal.”
Qualquer universidade?… qual autonomia…
2) Não há qualquer “relação entre tinha e tumores”; apenas entre “maneirismo primário” e tumores.

 
Portugueses entre os europeus mais preocupados

Os portugueses são dos europeus que mais receiam a gripe das aves e dos que menos confiam na capacidade das autoridades para combater a doença.
Uma sondagem mundial revela que 61% dos portugueses estão receosos.

 
Preço da medicalização dos problemas

Em Janeiro deste ano, o Estado gastou mais 9,2 % em medicamentos do que em Janeiro de 2006 (Infarmed); os genéricos representaram 15 % do valor do valor total de medicamentos vendidos em Portugal em 2006.

Não é com economistas que se resolve esta equação.
Não se pode esperar que o SNS resolva problemas sociais
Não se pode esperar resolver a preocupação dos portugueses com medicamentos.

 
Só exportações aguentam crescimento da economia

A economia estabilizou nos últimos três meses de 2006, sustentada pelas exportações, mas "castigada" pelo consumo das famílias.
Só?
Se tivéssemos consumido mais, a "economia" nacional não teria sido tão castigada...

22.2.07

 
...e sai por outro.

 
Desiderata

Be yourself. Especially, do not feign affection.
Neither be cynical about love; for in the face of all aridity & disenchantment it is perennial as the grass.
Found in Old Saint Paul's Church, Baltimore 1692

 
Empresa pública poderá vender escolas secundárias
Se são secundárias, porque não?

 
Sociobiologia atrevida
Bicarbonato e aborto
O metabolismo animal liberta CO2 que é expirado para a atmosfera e ácidos que o rim elimina.
Há que manter o meio interno equilibrado (homeostase) sem excesso nem carência – de energia, de O2 ou de CO2, de ácidos ou de bases.
Se houver uma acidez excessiva (uma sobrecarga de H+, o minúsculo ião hidrogénio) a célula sofre; tudo está preparado para o evitar. Em última instância será o rim a excretar H+, um processo que levará algum tempo a incrementar.
A célula não tolera demoras pelo que, entretanto, há outros mecanismos que amortecem as variações do pH– os sistemas tampão: o bicarbonato neutraliza o H+, com formação de água e CO2, moléculas inócuas.
O tamponamento é um processo cosmético de resultado imediato mas que rapidamente se esgota se a sobrecarga ácida persistir, ultrapassando a capacidade renal de eliminar H+ -- o processo radical de manter a homeostase.
O mesmo acontece com o aborto; também aqui se dispõem de mecanismos eficazes (contracepção) de evitar a gravidez indesejada (a acidez excessiva). Em situações pontuais de sobrecarga aguda que perturbem a homeostase, a IVG é como que o tampão a que se recorre.
Como na bioquímica humana, os sistemas tampão não são a solução mas um recurso de emergência.
A IVG de 1/5 das gestações europeias libertas do Sec XX é o equivalente da falência renal, sobrecarregando o sistema tampão que rapidamente se esgota deixando de poder acorrer a outras funções importantes; a osteoporose e a tetania são alguns desses riscos.
Tal como na falência renal, há que tomar bicarbonato e esperar por um transplante renal que faça regressar os normais mecanismos de depuração de H+.
Também na azia, o bicarbonato era uma medida cosmética; acalmava o incómodo com um ou outro arroto de alívio, mas a melhoria era transitória.


21.2.07

 


 

O gafanhoto da Quinta da Maia (Solum)

 
O referendo sobre a despenalização da obesidade


O preconceito contra as pessoas obesas é tão forte quanto o preconceito racial
-- Mais do que uma epidemia de excesso de peso, quase se pode falar de uma epidemia de insatisfação corporal?
-- É um bocadinho isso.

Marlene NS, psicóloga que acompanha mulheres de PESO.

Concorda com a despenalização da segunda lei da termodinâmica ...?

 
Expressões de Carnaval

Nunca ninguém me perguntou
«… não eram de leitura evidente»

 
Candidata da esquerda pouco dialética

No Monde, o filósofo Yves Michaud, apoiante de Ségolène Royal, (lamenta que ela tenha esquecido) "a relação entre direitos e deveres", que foi uma das suas principais diferenças, para "só prometer direitos". Teresa de Sousa.

 
Quarta feira de cinzas

Em vez de pequenas emendas, os nossos líderes (preferem) revoluções messiânicas, destinadas a inspirar um novo canto nos Lusíadas.
A crença de que tudo poderia ser resolvido (com) uma lei "fracturante". Rui Ramos.

A não perder.

 
Quarta feira de cinzas no novo DN

E Sócrates, o tecnocrático, acaba por ficar na História como o líder que resolveu uma questão que se arrastava há décadas em Portugal. É um pragmático que sabe escolher os combates que pode ganhar. Sócrates percebe o ar do tempo. Sabe que não precisa de suscitar a adesão, basta-lhe encontrar maneira de contornar a rejeição. Miguel Gaspar.

Resolver a questão ou o problema?

Para o resolver a questão basta contorná-la; bastará para o problema?

 
Acto falhado de inveja

o direito das mulheres a disporem do seu corpo faz parte dos direitos do homem.
Christine Ockrent. Livro Negro da Condição das Mulheres

 
Desmanchos de Entrudo

Com que então caiu na asneira de fazer na quinta-feira outro desmancho! Que tola!
Ainda se o desfizesse... Mas fazê-lo não parece de quem tem muita miola!
Não sei quem foi que me disse que fez a mesma tolice, aqui na semana passada...

Agora, a que vem, aposto, como lhe tomou o gosto, que faz o mesmo. Coitada!
Não faça tal; porque os abortos que nos trazem?
Desgostos que fazem a gente velha;
faça outra coisa; que, em suma, não fazer coisa nenhuma, também se lhe não aconselha.
Mas abortos, não caia nessa!

Olhe que a gente começa às vezes por brincadeira, mas depois, se se habitua,
agora que não há pena, já não tem vontade sua,

e fá-los, queira ou não queira!

João de Deus me valha.


Na “maioria dos países europeus e nos EUA, que foram feitos pela nossa civilização" (JPP. Público 1-2- 2007) apesar de 70 a 80% das mulheres fazer contracepção, uma em cada cinco gestações é “interrompida”.



20.2.07

 

Fontes bem colocadas


No Entrudo, tudo é permitido mas só de uma forma velada e apenas durante três dias.

Na Madeira, alguém, velado, procura segredar notícias.



 
Há esperança na nova geração

Cinco anos de gente no corso.
-- Não gostei nada; mostravam-nos os rabos…
-- Mas toda a gente tem rabo.
-- Mas davam puns e cheiravam mal!
... E as caras eram tão feias e os foguetes faziam muito barulho.


Apesar de brincar com dinossauros, tartarugas ninjas e outros brutamontes não confunde o sonho com a realidade e recusa o politicamente correcto e o gosto rasteiro.

 
Dados vítimas de maus tratos

1. Em cada cem mil crianças portuguesas com menos de 15 anos, 3,7 morriam anualmente vítimas de negligência ou maus-tratos. Portugal ocupava o primeiro lugar em mortes por maus tratos a crianças, numa lista dos 27 países industrializados da OCDE. (UNICEF 2003)
"O Estado português deveria pedir esclarecimentos à UNICEF, saber como chegaram a estes números. Enquanto português, sinto-me ofendido por ver Portugal qualificado como o país que maltrata as suas crianças 15 vezes mais que a média europeia". L.
Villas-Boas, vice-presidente da Rede Europeia de Acção Social.

2. -- No relatório de 2003 da Unicef Portugal era apontado como o país europeu da OCDE com maior número de mortes de crianças por maus tratos. Como está agora?
-- Do relatório
UNICEF 2006 não constam sequer dados sobre o tema; alerta-se para o facto de o seu âmbito estar limitado pela disponibilidade de dados que sejam comparáveis internacionalmente. Às vezes não há sequer definições comuns a nível internacional.

3.7/100.000; 15 vezes mais que a média… sem “dados comparáveis .. nem sequer definições comuns”… A UNICEF também faz “Precision guesswork”.


 
Para a descriminalização do acaso

O Tribunal Constitucional declarou a não inconstitucionalidade das duas possíveis respostas, sim ou não, à pergunta do próximo referendo sobre o aborto livre até às dez semanas por sete votos contra seis (7/6).

"A democracia é o regime político que permite afastar os que frustram sem recorrer à violência" (Popper).
Assume que, não se sabendo qual será a melhor das propostas em competição, seja a maioria a escolher e a pô-la em prática, sob a vigilância dos mencheviques e na obediência da lei; se correr mal, dar-se-á a vez à oposição e assim sucessivamente.
«A Justiça tem objectivos diferentes e, consequentemente, critérios diferentes. Julgar exige rigor, certeza e segurança, incompatíveis com a volúvel conjunção ou disjunção de opiniões. Os critérios aceites no processo democrático não podem ser transpostos para o jurídico. Por isso se deveria requerer que a deliberação dos júris fosse consensual»

Sete em 13 juízes correspondem a 53.9%; sendo estes juízes uma amostra dos juízes portugueses peritos na matéria, o resultado de uma amostra diferente dos mesmos juízes peritos poderia variar de 81% (franca maioria) a 25% (minoria) -- (IC 95% de 25 a 81%).
Há Matemática para tudo, menos "para entender os seres vivos".
Marcelo Viana, prémio Universidade de Coimbra.

Não se trata de contestar o resultado do referendo; trata-se de reflectir sobre a solidez do fundamento das deliberações e das opções.
Para que, da próxima vez, as asneiras que fatalmente vamos fazer, sejam, pelo menos, diferentes.

 

Entrudo

O Presidente do PSD Madeira, disfarçado de Presidente do Governo regional, disse o que Alberto João pensa: Recandidata-se porque não quer entregar o poder a incompetentes, oportunistas, frustrados sociais…
Se os seus correligionários se mostrarem ofendidos, poderá alegar tratar-se de uma falsa partida de carnaval.

19.2.07

 
We do precision guesswork


(NASA's Jet Propulsion Lab)

...........................................................................................................Fevereiro de 1968

 
Ecoresignados

1. Quercus
Substituir uma lâmpada corrente por outra de baixo consumo
Apagar o piloto da TV
permite reduzir em 1%...

2. “GPS” ecológico permite escolher a rota “menos poluente” ... com um passageiro por carro.

Só o mercado não se resigna; aproveita a onda com lucros ecológicos. Lucros dos quatro maiores bancos privados sobem 30% :quase dois mil milhões de euros em 2006.

 
Propostas

População de Valença corta ponte internacional para Tui contra fecho das urgências

Proposta 1. despenalizar os manifestantes e seus guias
Proposta 2. acordo com Tuy quanto a urgências (nocturnas e outras)

 
Cirurgia de guerra

Até meados do Sec XX, sem uma assepsia correcta, as feridas infectavam frequentemente; por vezes a situação agravava-se o que levava a ter de amputar o membro atingido para salvar o doente.
Os antibióticos surgiram nos anos 50 e tudo se modificou. Foi uma revolução; associando a assepsia à antibioterapia, a cirurgia pode realizar-se sem o espectro da infecção, pela primeira vez na história.
Como sempre acontece, o entusiasmo excessivo levou a relaxar os cuidados – tanto na assepsia como no uso criterioso de antibióticos, o que fez aumentar de novo a taxa de amputações de membros.
O Director do hospital, preocupado, ordenou um inquérito que confirmou o que se previa: em uma em cada cinco amputações de membros não tinham sido cumpridas as normas preservativas.
Que esperaria que o director fizesse?
a) Analisasse estes factos com os médicos para tomar medidas profiláticas consequentes, ou
b) Despenalizasse a prática de amputações injustificadas?

18.2.07

 
Uma opção da mulher livre; livre?

Britney Spears rapou o cabelo; a cabeleireira procurou que ela reconsiderasse para que se não se viesse a arrepender, por lhe parecer que estaria em crise.
Não lhe deu ouvidos e começou, ela mesmo, a rapar o belo cabelo. Nada a fazer, era dela.
Britney tinha acabado de sair de um centro de recuperação de tóxico-dependentes.

 
Bandeira vermelha

Nos dias de mar bravo os banheiros hasteavam a bandeira vermelha mas ninguém ligava; iam para o mar e nadavam, indiferentes ao perigo. Eles bem avisavam mas não ouviam, tal a atracção das ondas. Não havia semana que não tivessem que socorrer alguém; todos os anos lá ficavam duas ou três.
Para atenuar este flagelo colocaram barreiras e disponibilizaram bóias mas nada.
"Concorda com a despenalização da contravenção da bandeira vermelha”

 
Um domingo magro

Um livro para ensinar a dormir
O Método Estivill, que consiste em ensinar os pais a ensinar os filhos a dormir, é rígido e não admite alterações ou acrescentos criativos.
DN-- É curioso que os pais ensinem tudo aos filhos - a andar, a comer com talheres, a bater palminhas. Mas nunca se fala em ensinar a dormir. É como se o sono, por ser inato, não necessitasse de aprendizagem.

EE-- Mas necessita. E como em qualquer ensinamento de um hábito, tem de haver repetição. O que acontece é que muitos pais não estabelecem um padrão,não estabelecem rotinas. Assim é muito difícil aprenderem a dormir.
Cerca de 70% dos recém-nascidos conseguem aprender o hábito do sono.
DN--Não é demasiado duro culpabilizar assim os pais?

EE-- Não, não! A culpa é dos pais, mas os pais não devem sentir-se culpados. Os pais devem dizer, num tom de voz calmo e seguro, qualquer coisa como: "Meu amor, o papá e a mamã vão ensinar-te a dormir. Vais ficar aqui com o teu boneco para fazer ó-ó." E depois apagar a luz e sair. A partir desse momento é ter nervos de aço.
(Cai o pano)

Em 1946 Spock publicou o Guia “Meu filho, Meu tesouro”, livro de cabeceira de muitas gerações de mães. 60 anos depois Eduardo Estivill, lança o seu Método para “ensinar os bebés a dormir”. Um novo Livrito Vermelho para educar o povo-pais-de-bebés depois do libertário Jean-Jacques Spock.

Há pais que vêm ter comigo na rua e dizem: "Obrigado, mudou a minha vida!" É muito gratificante.
Eu acho preocupante; arrepia-me pensar que lhe irão pedir um livro que lhes ensine como "ensinar os filhos a andar"... e a votar.

 
Um domingo magro
Processo de intenções
nem os melhores resistem.

O CDS …segurou com força a trela do "não" e correu, ofegante, atrás dele durante quinze dias...
Tudo correu tão mal que o PSD (engendrou) uma manobra de diversão …. soltar o ilimitado potencial de inépcia, confusão e tiro aos pés da equipa camarária do PSD em Lisboa. N. Brederode Santos.

 
Um domingo gordo

Impunidade despenalizada
É essa sensação que faz com que …tantos… sintam que têm o caminho livre à sua frente, que tudo lhes é permitido. Antigamente, só as classes altas pensavam assim. Hoje, o sentimento de impunidade democratizou-se. A. Barreto 18.2.2007

 
Um domingo gordo
Livre arbítrio

Escolher em liberdade não é incompatível, antes exige, que se escolha dispondo de toda a informação. E não impede que se seja aconselhado, tal como se previa no projecto de lei do PS sobre a despenalização do aborto apresentado em 2005 e entretanto abandonado. Mas abandonado porquê? JMF.18.2.2007
Tal como decidiu o Tribunal Constitucional alemão em 1993, a introdução de um sistema de aconselhamento constitui uma garantia constitucional fundamental que consubstancia a melhor forma de harmonizar os diferentes valores jurídicos em confronto, mas que não deve pôr em causa a liberdade da mulher. Segundo aquele Tribunal, a IVG sem um sistema de aconselhamento obrigatório é inconstitucional. P.Pinto de Albuquerque

17.2.07

 
Dress code” e a capa e batina

As marcas investem em força no negócio do complementar que se vem transformando em essencial no planeta moda. Não há «fa­shion-victim» que resista. unica@expresso.pt


Quem critica a praxe fulmina a capa e batina por ser uma farda (um hábito) uniformizante que impediria a manifestação da personalidade individual.
Antes de analisar o conteúdo, investem contra a capa e enforcam-na simbolicamente.
Curiosamente esta crítica é assumida por gurus na moda (intelectual e a outra), figuras habituais da TV onde surgem sempre impecavelmente vestidos (isto é, fardados de acordo com os padrões do estrato social dominante). Ao vê-los e ouvi-los, é o estatuto dos muito bem instalados que se revela. A apologia do politicamente correcto ou a irreverência conformada-- o que se critica na praxe, ali está exemplarmente definido.

A praxe e os seus críticos. Expresso.12-12-1998

 
Vítimas atropeladas

Cerca de 30% dos peões atropelados mortalmente durante o ano de 2006 estavam alcoolizados. DGV.
"O álcool está associado aos comportamentos de risco, como comportamentos violentos e situações impulsivas".

 
Encruzilhada do diabo

Todos os meses ali havia acidentes, por vezes mortais. As multas por incumprimento do código não dissuadiam os condutores. Tentaram semáforos mas em vão; muitos condutores ignoravam-nos e os acidentes continuavam.
Para tentar resolver esta calamidade foram propostas várias alternativas:

a) Passagens desniveladas para evitar resultados indesejados de encontros fatais.
b) Cursos intensivos para condutores (só lá iam os que menos precisavam) com agravamento das multas.
c) Despenalização dos acidentes e reparação gratuita dos veículos.


Venceu a última, a escolha de resignação; numa prova de escolha múltipla é a mais frequentemente errada.

 
Lugar ao Sul, hoje

Era analfabeto; “só sabia escrever na água e ler na areia.”
Sou muito velho “o que faço hoje, amanhã já não me alembro”.
Uma caixa de 40 fósforos dava para um ano inteiro; mantinham tições na cinza e pediam lume aos vizinhos.
As folhas da horta estavam roídas (“são os pássaros”) mas não usa químicos: “Cheios de venenos já nós andamos.” A horta como modelo da conversa: “Há que semear para colher”. “Tu dás-me ervilhas que eu dou-te feijão”.
Recordou os duríssimos dias de ceifa, desde o nascer do Sol (o “João”) até que ele se punha, sob as ordens do “moiral”. Bebiam água quente, que nem a sombra refrescava e dormiam a sesta na terra que fervia.
Recordou as lenga-lengas que entoava aos meninos dos patrões quando não queriam comer…
Muito me ajuda quem me não empata”. Nunca teve “direitos adquiridos”.

 
Para que não seja possível rever a opção
como aconteceu a Fontão

PCP, BE e PEV opõem-se a aconselhamento obrigatório para IVG.
O PS também: A decisão da mulher "não pode ser condicionada por qualquer instituição, por qualquer organização ou orgânica administrativa"

Fontão de Carvalho assegura que se manterá em funções.
Fontão
suspende mandato, uma «decisão pessoal» depois de ponderação.


 
Bem vindas ao Sec XXI

Os acessórios ocupam cada vez mais espaço no planeta moda. As marcas investem em força no negócio que, de complementar, se vem transformando em essencial.

Tudo é permiti­do. Objectos de desejo incitam … a cobiça dos consumidores...não há «fa­shion-victim» que resista. unica@expresso.pt

As mulheres portuguesas, finalmente no Sec XXI pela “opção” pelo SIM; finalmente livres das algemas medievais e dos constrangimentos das pílulas, poderão agora fruir os “Objectos
de desejo que incitam … a cobiça dos consumidores”.
“Tudo é permitido” mas “não há «fa­shion-victim» que resista.”



Mercado:
Is muito desautorizada,
descalça, pobre, perdida,
de remate:
não levais de vosso nada.
Amargurada,
assi passais esta vida
em disparate.
Vesti ora este brial;
metei o braço por aqui.
Ora esperai.
Oh! Como vem tão real!
Isto tal
me parece bem a mi:
ora andai.

Uns chapins haveis mister
de Valença: ei-los aqui.
Agora estais vós mulher
de parecer
Ponde os braços presumptuosos:
isso si!
Passeai-vos mui pomposa,
daqui pera ali, e de lá pera cá,
e fantasiai.
Agora estais vós fermosa
como a rosa;
tudo vos mui bem está.
Descansai.

Torna o Senso ao Cliente, dizendo:
-- Que andais aqui fazendo?
Cliente
-- Faço o que vejo fazer
polo mundo*.

Gil Vicente. Auto da Alma.
.
* “maioria dos países europeus e nos EUA”. JPP. Público 1-2- 2007

16.2.07

 
Os doentes abandonam-nos

Dog-owners 'lead healthier lives'
"In some cases, the social support offered by an animal is greater than the support than another human could offer."

 

Bichos carpinteiros
e outras perturbações impulsivas do comportamento


"Portugal é um dos países onde há maior intervenção farmacológica nestas situações " "…. é mais fácil receitar medicamentos do que prestar apoio ..." Luís Borges.
.
.
...é mais fácil fazer leis do que prestar apoio

 
O referendo sobre a desresponsabilização da interrupção voluntária da quimio-profilaxia

A tuberculose é uma endemia em expansão. Tal como a gravidez indesejada, a prevenção medicamentosa é eficaz; só que não é cumprida -- é a interrupção (in)voluntária da profilaxia.
Ao contrário do bacilo de Koch, o óvulo não cria resistências aos contraceptivos e a taxa de "cura" espontânea da gravidez é muito baixa.
Concorda ou não com a desresponsabilização da interrupção voluntária da quimio-profilaxia dos contagiados pela tuberculose?

O HIV apoia o SIM.

Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017   05/2017   06/2017   07/2017   08/2017   09/2017   10/2017  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter