alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

31.12.15

 

Empurrar com a barriga


Crédito ao consumo

É como se manducássemos hoje o almoço de amanhã; depois se verá e assim sucessivamente. 
Daqui a metáfora de empurrar com a barriga?

Não aprenderam nadanão esqueceram nada
Os tuga tal como os Bourbons.

Etiquetas: ,


30.12.15

 

Pegada ecológica


Crescimento e consumo sensato não só por padrões humanos - notar o desastre ecológico da nossa entrada na CEE.




Etiquetas:


 

Efeitos secundários de boas intenções


Sociobiologia atrevida
Mesmo na reparação do atraso, nem sempre quanto mais depressa melhor; se demasiado rápido, o desenvolvimento não acompanha o crescimento.
É o que acontece com os recém-nascidos de muito baixo peso; uma recuperação demasiado rápida, agrava a probabilidade de obesidade e potencia os riscos decorrentes.
Em termos de consumo, é o que acontece em Portugal com a epidemia da obesidade. 
A poluição é o equivalente desses riscos do crescimento desmesurado do PIB da China.
Em Pequim já foram emitidos dois alertas vermelhos por causa de


Etiquetas:


 

Padrão humano de crescimento


O padrão de crescimento humano é assimptótico, não contínuo.
O objectivo é satisfazer as necessidades, não os desejos, muito menos os induzidos; de todos e não dos que podem.
Com equidade - dos que mais precisam e não dos que mais reclamam.


















Na selva do crescimento rápido e contínuo, necessariamente só sobreviverão os mais aptos - a desigualdade é fatal.
Fatal e absurda; em termos humanos, seria o mesmo que manter sempre a velocidade de crescimento infantil.






Etiquetas:


 

A fome e a vontade de comer


Dois mitos trágicos - o do crescimento contínuo e o da igualdade.

                  A publicidade tenta
                o consumidor rende-se
                a dívida nasce.


O indivíduo deseja e com o exemplo e a moda torna-se um consumidor; como não tem, vive a crédito que crê eterno – não se paga, vai-se pagando.
O empresário faz o mesmo a outro nível; sobrevivem os mais aptos nesta selva – alguns génios, semideuses desta liturgia e muitos luciferinos que ao cair no inferno nos arrastam com eles. Fatal.
A publicidade* acelera este ciclo viciado. A espiral rodando hipnotiza todos até que a bolha rebenta e só então acordam frustrados pelo mítico paraíso perdido.
Criam que o crescimento rápido era contínuo e infinito; uma crença trágica.
A obsessão compulsiva pelo crescimento contínuo é uma característica patológica.
As células HeLa continuam a crescer, “dizem-se “imortais", mas  Henrietta Lacks, a doente dadora, morreu de cancro.
De cada vez que consumimos além do necessário accionamos a espiral; de cada vez que fazemos "o que vemos fazer, pelo mundo", colaboramos. "Vemosouvimos e lemos Não podemos" alegar.
* "pressão dos accionistas, destes sobre os administradores, destes sobre os gestores" e, por fim, destes sobre os publicitários e figurantes que colaboram sem reticências e comemoram os sucessos da empresa como se fossem deles - peças da espiral rolante.

Etiquetas:


29.12.15

 

Entrevistas edipianas do Expresso


Karl Ove Knausgård é o homem que não guarda segredos. O escritor que renuncia à possibilidade de ter uma vida dupla para se colocar a contas com a infância, o pai alcoólico (“A Morte do Pai”), a mulher bipolar, as quatro crianças pequenas. A família de onde vem. A família que está a construir. É aquele também que está pronto a desafiar a norma social que nos sugere discrição e que não dá qualquer crédito à vergonha. Com ele, “a vida como ela é” desfila à nossa frente em seis volumes.

* Ser discreto é ter uma vida dupla? Para os jornalistas ser discreto é um delito; todos devem “assumir-se”, dizem eles. Knausgård “que não guarda segredos” é um ídolo para eles.

E tem notoriedade: “Nos Estados Unidos é uma estrela pop. Na Escandinávia devoraram-no. (sic)”

Etiquetas:


28.12.15

 

Sacudir a água do capote


Lula da Silva afirmou: “Eu sei que isto não agrada aos portugueses, mas Cristóvão Colombo chegou a Santo Domingo [actual República Dominicana] em 1492 e, em 1507, já ali tinha sido criada a Universidade. No Peru, em 1550, na Bolívia em 1624. No Brasil, a primeira universidade surgiu apenas em 1922.
*Cem anos depois da independência.
*Tal como os velhos que ainda atribuem ao falecido pai as suas falhas. 


Etiquetas:


27.12.15

 

Linguagem actual / atual


Reflexões sobre a linguagem hodierna

George Steiner afirmou: “Shakespeare usava 24 mil palavras. Num estudo muito recente, pela companhia telefónica americana Bell, o total de palavras usadas por 90% dos americanos ao telefone é de 150 palavras”.


Para não acabar de vez com os jornais (e a democracia)



Etiquetas:


 

O dinheiro como matéria-prima


- Um homem que trabalhava o dinheiro: a sua matéria-prima eram as notas, as moedas.
- Um bancário, um economista, Excelência?
- Não. …. Um artesanato monetário, um artesanato que só existe no hospício pois é um artesanato que estraga dinheiro, que destrói o que é mais precioso.

Gonçalo. M. Tavares. O Torcicologologista, Excelência. 28S5

Etiquetas:


26.12.15

 

Bancos, falcatrões e nós


As capas da Revista são sempre notáveis; esta destoa.
Será esta a caricatura adequada dos figurões que Santos Guerreiro identifica?
Os 40 000 000 000 € terão sido "destruídos"?
Empresário (sem aspas) será o termo adequado? Falcatrões não será melhor?
Não serão eles os modelos que admirámos ontem? Na fúria que sentimos não há também inveja? 
Tal como nós, também eles caíram por pretender viver acima das suas possibilidades. Valeu a pena? Vale a pena?
O obsceno cenário das compras de Natal diz que sim.

Etiquetas:


15.12.15

 

A posição dos cidadãos


Candidato a Bastonário da Ordem dos Enfermeiros 

Epicentro: Termo que designa o ponto da superfície terrestre onde se regista a intensidade máxima de um sismo.

Etiquetas:


 

Diz-se que os generais estão sempre bem preparados para a guerra anterior. 


J.J Abrams também.

Etiquetas:


14.12.15

 

Acredita


Etiquetas:


 

Euro é a moeda única


... a justificação da supremacia dos mercados sobre o voto dos cidadãos (foi) dada, em 1998, pelo presidente do Deutsches Bundesbank, que elogiou os governos por preferirem “o plesbicito permanente dos mercados globais” em detrimento do “plesbicito das urnas de voto”. A justificação é que os mercados globais são mais democráticos que as eleições parlamentares, uma vez que o processo de votação decorre neles, permanente e globalmente, e não apenas de quatro em quatro anos, confinado aos limites de um estado-nação.

*Quando os cidadãos se transmutam em consumidores cada euro é um voto.

Etiquetas:


 

PIB e ação dinâmica específica


Em 2014 o PIB per capita, já considerando a paridade do poder de compra, ascendeu em Portugal a 78,1% da média da União Europeia, acima dos 77,3% registados em 2013, informou o INE. 

* Equiparando o valor do PIB per capita ao peso individual, Portugal está na Europa como um adulto em Portugal, pesando 54 kg
Se a limiar da pobreza é 60% do rendimento mediano, Portugal será um país europeu "remediado".
** Produtividade do trabalho, por hora de trabalho (UE28) em 
 Portugal (2013) era 65,3% da média UE.
*** O rendimento por português avaliado pelo PIB per capita é 4/5 da média europeia mas a produtividade nacional avaliada pela do trabalho/H é 2/3 da média europeia
  A diferença é o défice e a dívida ou há acção dinâmica específica ?

Etiquetas:


 

Salário moliceiro


O valor do salário mínimo nacional representa 80% da média da União Europeia. Mas o valor do salário médio em Portugal representa apenas 57% da média da União Europeia; são 1056 € em Portugal contra 2258 na média da Europa a 15.

Em nenhuma outra economia europeia os salários pesam tanto no PIB como na portuguesa. Ou seja, são baixos, envergonham, mas são, ainda assim, demasiado altos para o que a economia produz.
Martim Avillez Figueiredo   Expresso 12-12-2015

PORTUGAL AO FUNDO
Se Portugal fosse um navio estava há séculos a meter água. No século XIX nunca se conseguiu que as exportações superassem as importações em valor e, no século XX, apenas em três anos da década de 40 conseguimos tal desiderato.
Como, pois, poderíamos sobreviver?
Enquanto fomos vendendo ativos, recebendo subsídios europeus, aceitando as transferências de emigrantes ou pedindo emprestado, aguentámos. Mas quando a pressão dos credores foi demasiada, o barco mergulhou e, resignados, pedimos socorro.
João Duque. Expresso 12-12-2015
* Que carga se esvai pelas fendas por onde entra a água?

Etiquetas:


11.12.15

 

Há uma terra, aonde?

Ah uma terra aonde, enfim, 
Muito a leste não fosse o oeste já! 

A Europa de Leste nunca foi ocidental?
* Muito depende do ponto de vista; e do momento -  todos nós somos pró e anti e a proporção varia.
A Ibéria foi sempre mais ocidental que a Europa.
Os árabes chamavam ocidente ao Algarve - "al-Gharb".
Há 70 anos, onde era a fronteira E/W da Europa?

Etiquetas:


 

Economia não liga com ecologia


Cimeira do climaO clima à espera de um acordo

Então Josué falou ao Senhor e disse: 
- Sol, detém-te em Paris...
E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos.

Etiquetas:


10.12.15

 

Barrigas de aluguer


"No mercado nada se perde, nada se cria,
tudo se compra ou vende" Lavoisier da bolsa

Etiquetas: ,


 

CEE, continente europeu


Amnésia ingrata

Etiquetas:


9.12.15

 

Fim do ano


“Garanta já o seu lugar na passagem de ano antes que esgote.”

* Não arrisque ficar em 2015.





Etiquetas:


8.12.15

 

Rankings


Portugal caiu 10 lugares abaixo da posição ocupada em 2014 no "Climate Change Performance Index"

The CCPI 2015 results illustrate the main regional differences in climate protection performance within 58 countries across the world.

For the third time in a row, we see Denmark leading the table, followed by Sweden, the UK and Portugal.(7º)


Etiquetas:


 

Ecologia: Futungo e o Paço pedem ajuda



1. Angola quer ajuda para não depender do petróleo

Angola quer ser compensada para abdicar do papel preponderante do petróleo no seu desenvolvimento. Esta é uma das exigências que o país trouxe na bagagem à cimeira do clima de Paris.
Angola preside o grupo dos países menos desenvolvidos mas do qual está em vias de deixar de pertencer.
 "Somos os mais vulneráveis", diz a ministra do Ambiente.
Angola tinha todos os seus planos de desenvolvimentos baseados no petróleo. "Vimos o nosso orçamento baixar para a metade. Quem é que nos compensa? Outros países estão a sair beneficiados com isso".
E mesmo Angola poderá sair em breve do grupo dos mais pobres. O seu rendimento bruto per capita em 2014 equivalia a cerca de 4500 euros.
"Naturalmente que ainda existem algumas debilidades, mas não há dúvida de que Angola está a crescer. Continuam a melhorar os índices de desenvolvimento humano, a qualidade de vida está a melhorar, os níveis de pobreza reduziu-se significativamente", diz a ministra do Ambiente. "Nós queremos ser correcta e justamente avaliados e classificados", acrescenta.

Em suma, após vinte anos de capitalismo selvagem, a posição dos oligarcas nos escalões superiores da sociedade ... é um facto, tal como a Angola que eles construíram. Todavia, subjacente a esta mentalidade rentista e a esta cultura política encontramos o paradoxo da realidade da permanente exclusão da maioria relativamente às vantagens do sistema. Além dos círculos restritos da elite e da nova burguesia nacional, há muito pouca distribuição em Angola. A maioria dos angolanos faz parte das “redes de sobrevivência”, mais do que das “redes de acumulação'', sendo-lhes drasticamente negado o acesso mesmo a benefícios indirectos decorrentes da riqueza do país.
A despesa pública foi canalizada para as cidades, em detrimento do mundo rural (e dentro das cidades, para o núcleo urbanizado, em detrimento dos bairros degradados da periferia); para bases de apoio vagamente definidas como “burguesas”, compostas por apoiantes do regime, em detrimento dos pobres; e para o consumo e a construção de infra-estruturas materiais, em detrimento da diversificação de uma economia dependente do petróleo ou do investimento em capital humano.
Não obstante um PIB per capita de 5700 dólares em 2012, a maioria dos angolanos é muito pobre, sofre e morre devido a doenças evitáveis e tem uma esperança de vida que praticamente não chega aos cinquenta anos; o acesso a água potável, saneamento básico e energia eléctrica continua a

ser escasso. As pessoas não conseguem arranjar emprego na economia moderna e, enquanto tentam sobreviver nas grandes cidades sentem a irritação crescer dentro delas perante a prosperidade de que foram excluídas.

2.  Ministro do Ambiente quer ajuda das autarquias para reduzir emissões nos transportes




Ricardo Soares de Oliveira. Angola Magnífica e Miserável. 2013-2015

Etiquetas: ,


7.12.15

 

FT à procura de escola


Etiquetas:


 

do ovo à serpente


1.  Líbano

*CCB,    C de Comercial

   Publicidade em forma de notícia em horário nobre (21h11m)

A tiara que pertenceu à Rainha Isabel da Bélgica, a pregadeira que a princesa Margarida de Inglaterra usou na coroação da irmã, Isabel II, em 1953,
ou o célebre colar em forma de serpente criado para a actriz mexicana María Félix são algumas das mais icónicas jóias que a Cartier traz a Lisboa. 



Etiquetas:


 

Proselitismo acrítico


1. Quando a Arábia Saudita se tornou numa petro-monarquia e começou a exportar a sua ideologia, tudo mudou. Os sauditas foram muito espertos, foram a todo o mundo construir mesquitas e madrassas [escolas corânicas] e depois enviaram os seus imãs [quem lidera as orações], professores e livros. E incentivavam toda a gente a ir estudar em Meca e Medina. Conseguiram exportar o wahhabismo para todo o mundo muçulmano.
Por um lado, os muçulmanos aceitam esta ideologia porque reverenciam a Arábia Saudita de forma acrítica

2. Católica é a melhor escola de gestão portuguesa. 
As melhores instituições da Europa nesta área de ensino, de acordo com a selecção do Financial Times.
Outro dos factores de avaliação do jornal é o salário dos ex-alunos .



Etiquetas:


5.12.15

 

Energia verde sobre rodas


Bicicl€ta 

Etiquetas:


 

respire a rebeldia


Assuma a rebeldia, fume ao ar livre




Etiquetas:


2.12.15

 

Como se fora uma final do pentatlo


Which wealthy countries have the worst inequality?


A score of 1 indicates the highest levels of inequality
Segundo um relatório da Morgan Stanley, este pequeno rectângulo à beira-mar plantado lidera o ranking da desigualdade entre os países mais desenvolvidos.
Expresso Curto 
1. Não é estranho que, no que se refere a desigualdades em índices de saúde, Portugal fique classificado no 4º lugar mas seguido pela Alemanha (5º) e USA (6º) e antecedido pela Finlândia (3º), Áustria (2º) e Bélgica (1º).
Infelizmente a Morgan Stanley usa o método dos rankings, sem referir a dimensão das diferenças.
2. E ainda, dada a muito boa correlação entre Gini coefficients e Wage dispersion e entre Workplace inclusion e Digital Access, que razão há para duplicar o significado subjacente a ambas e/ou conjugá-lo com o valor de Health status cuja validade se contesta?
Será assim que funciona uma multinational financial services corporation?

Etiquetas: ,


 

O chocalho do globo


Nunca pensei que um dia o GPS do gado tivesse projecção mundial
Guilherme Maia, sócio dos Chocalhos Pardalito.

Etiquetas:


Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017   05/2017   06/2017   07/2017   08/2017   09/2017   10/2017   11/2017  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter