alcatruz

Alcatruz, s.m. (do Árabe alcaduz). Vaso de barro e modernamente de zinco, que se ata no calabre da nora, e vasa na calha a água que recebe. A. MORAIS SILVA. DICCIONARIO DA LINGUA PORTUGUESA.RIO DE JANEIRO 1889 ............................................................... O Alcatruz declina qualquer responsabilidade pelos postais afixados que apenas comprometem o signatário ...................... postel: hcmota@ci.uc.pt

25.2.18

 

Novos-inovadores

Uma magnífica análise.
Seria difícil subestimar o valor central da Inovação em qualquer sociedade, economia, instituição ou empresa do séc. XXI. Trata-se de algo absolutamente crucial para manter a liderança, a competitividade e a eficiência. É mesmo essencial para assegurar a sobrevivência de modelos de negócio, tecnologias, nações, produtos ou sistemas políticos. Contudo, o empolgado reconhecimento dessa relevância tem transformado a palavra Inovação numa moda retórica, algo que “fica bem” em qualquer discurso de um político, um académico ou um empresário. Induz um ar de frescura e modernidade. Todavia, a ritualização do conceito de Inovação enquanto moda, marketing de imagem ou exercício pseudo-intelectual, frequentemente parece contaminá-la com abordagens excessivamente simplistas, fáceis, amadoras e redundantes. Talvez a genuína Inovação seja prejudicada pela ligeireza com que é invocada.
Mencionar a Inovação um milhão de vezes não transforma ninguém num inovador. Frequentar mediaticamente eventos como a Web Summit ou cerimónias de apresentação de “programas” sem fim, “fundos” e dinheiro, muito dinheiro, pode capitalizar visibilidade simpática. Mas talvez o que sobra em fácil imagem possa faltar em substância.

O que limita a competitividade da economia portuguesa não é um atraso tecnológico mas um atraso de mentalidades, uma cultura de trapalhice, uma fraca gestão, uma compulsiva regulamentação tão exagerada que se torna terceiro-mundista e que gera uma burocracia que asfixia os cidadãos, as empresas e os verdadeiros inovadores. E, lamentavelmente, talvez nada em Portugal necessite de mais inovação do que a decrépita política.
As empresas estão, em média, razoavelmente equipadas com tecnologia. O que falta inovar é a inteligência criativa da sua gestão, que é desorganizada e fraca no plano corrente e péssima no fundamental âmbito da gestão estratégica.
Como aqui não existe essa inteligente humidade e essa lucidez estratégica, vivemos em constante negação das realidades e tentamos todos acreditar que a solução é uma qualquer nova chuva de dinheiro, fundos, programas.
A facilidade com que se assimilam simplismos é impressionante. Criancinhas exibem os seus telemóveis e os seus tablets perante pais que se julgam muito modernos mas que, na verdade, podem estar a revelar tiques de provincianismo. De facto, muitas dessas criancinhas gerarão jovens e adultos que, com um ar tecnologicamente deslumbrado, não terão desenvolvido capacidades de simples cálculo mental ou de real criatividade pessoal. No passado, crianças brincavam com peças básicas da LEGO (cana e arame) para imaginarem e construírem com criatividade pessoal a partir do abstrato. Agora as criancinhas recebem módulos da LEGO já “pré-pensados” e digeridos. Montam o que alguém pensou por si e seguem o desenho das instruções. Subtilmente, criam-se de gerações de executores, em lugar de gerações de inovadores e criadores. As exceções são aqueles que resistirem a esta normalização. A China é agora o maior mercado da LEGO e aí as crianças são incentivadas a imaginar. 
Pedro Jordão         
                       
*São descendentes mentais dos teutões que, no sec XIII, julgaram ir dominar o mundo pelo poder mágico dos seus elmos reluzentes e da bênção dos seus bispos. 




Não se deram conta da fragilidade do terreno em que se moviam, o gelo cedeu e afogaram-se arrastados justamente pelas armaduras - a inovação que julgavam bastar. (Alexandre Nevski. Eisenstein)

Etiquetas:


Comments: Publicar um comentário

<< Home

Archives

12/2004   01/2005   02/2005   03/2005   04/2005   05/2005   06/2005   07/2005   08/2005   09/2005   10/2005   11/2005   12/2005   01/2006   02/2006   03/2006   04/2006   05/2006   06/2006   07/2006   08/2006   09/2006   10/2006   11/2006   12/2006   01/2007   02/2007   03/2007   04/2007   05/2007   06/2007   07/2007   08/2007   09/2007   10/2007   11/2007   12/2007   01/2008   02/2008   03/2008   04/2008   05/2008   06/2008   07/2008   08/2008   09/2008   10/2008   11/2008   12/2008   01/2009   02/2009   03/2009   04/2009   05/2009   06/2009   07/2009   08/2009   09/2009   10/2009   11/2009   12/2009   01/2010   02/2010   03/2010   04/2010   05/2010   06/2010   07/2010   08/2010   09/2010   10/2010   11/2010   12/2010   01/2011   02/2011   03/2011   04/2011   05/2011   06/2011   07/2011   08/2011   09/2011   10/2011   11/2011   12/2011   01/2012   02/2012   03/2012   04/2012   05/2012   06/2012   07/2012   08/2012   09/2012   10/2012   11/2012   12/2012   01/2013   02/2013   03/2013   04/2013   05/2013   06/2013   07/2013   08/2013   09/2013   10/2013   11/2013   12/2013   01/2014   02/2014   03/2014   04/2014   05/2014   06/2014   07/2014   08/2014   09/2014   10/2014   11/2014   12/2014   01/2015   02/2015   03/2015   04/2015   05/2015   06/2015   07/2015   08/2015   09/2015   10/2015   11/2015   12/2015   01/2016   02/2016   03/2016   04/2016   05/2016   06/2016   07/2016   08/2016   09/2016   10/2016   11/2016   12/2016   01/2017   02/2017   03/2017   04/2017   05/2017   06/2017   07/2017   08/2017   09/2017   10/2017   11/2017   12/2017   01/2018   02/2018   03/2018   04/2018   05/2018   06/2018   07/2018   08/2018   09/2018   10/2018   11/2018   12/2018   01/2019   02/2019   03/2019   04/2019   05/2019   06/2019   07/2019   08/2019   09/2019   10/2019   11/2019   12/2019   01/2020   02/2020   03/2020   04/2020   05/2020   06/2020   07/2020   08/2020   09/2020  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter